Caldense apresenta moção no congresso da ANAFRE

0
177
O autarca apresentou uma moção no congresso na Figueira da Foz
As desigualdades nos cuidados de saúde primários foram denunciadas pelo presidente da Junta de Alvorninha
O presidente da Junta de Freguesia de Alvorninha, José Henriques, chamou a atenção para a desigualdade nos cuidados de saúde primários nas freguesias, no XIX Congresso Nacional da ANAFRE, que decorreu nos dias 26 e 27 de janeiro, na Figueira da Foz. Na moção que apresentou, que foi aprovada, o autarca começa por fazer notar que o acesso aos cuidados de saúde primários é, para muitos, limitado. “Neste momento o número de cidadãos sem médico de família atribuído é alarmante”, disse, fazendo notar que muitas das freguesias do país dispõem de centros de saúde que se encontraram a funcionar em “períodos muito insuficientes ou estão mesmo encerrados”. Por outro lado, existem as freguesias que estão agregadas aos modelos USF-B, em que o funcionamento é “muito bom, os seus utentes têm uma assistência digna e os profissionais de saúde estão motivados”.
Ainda de acordo com a moção, este tipo de situação leva a uma “desigualdade entre cidadãos incompreensível, em que uns estão muito bem e outros muito mal ao nível da assistência”, chamando a atenção que é o Estado quem suporta ambos os modelos. Defende, por isso, que ou o “modelo USF-B teria que ser generalizado a todos os portugueses ou as USF-B já existentes teriam que ser forçadas a incluir polos nas freguesias que têm centros de saúde”.
 José Henriques bate-se com o problema na sua freguesia, onde atualmente não há nenhum médico de família, tendo os utentes desta freguesia consultas no centro de saúde das Caldas, apenas uma manhã por semana, tal como também acontece com os utentes da freguesia da Foz do Arelho. ■