Câmara e CHO articulam intervenção no Jardim de Água

0
555

Entidades já reuniram e definiram o plano, mas, em alguns casos, serão necessários pareceres técnicos antes de intervir

O Jardim de Água necessita de uma intervenção a vários níveis, nomeadamente iluminação, água, limpeza e reabilitação dos trabalhos azulejares e será garantida pela Câmara das Caldas e pelo Centro Hospitalar do Oeste. O protocolo de cooperação entre as duas entidades, firmado em maio, estabeleceu um prazo de 120 dias para definição da intervenção a realizar e a quem caberá cada um dos melhoramentos. Relativamente à iluminação ficou o responsável pela administração do património do Hospital de estudar o assunto e incluir num projeto mais abrangente, envolvendo a zona do monumento e áreas circundantes.
Já a colocação do espelho de água é uma matéria que precisa de ser aprofundada do ponto de vista técnico, pelo que responsáveis da Câmara irão reunir com o especialista em hidrogeologia, José Martins Carvalho, para estudar uma forma de colocar água no monumento, “mas sem que isso represente um risco para a integridade dos aquíferos termais e, consequentemente, para as águas”, explica a autarquia à Gazeta das Caldas. Esta entidade recorda que, aquando a preparação dos trabalhos de reabilitação do hospital termal, e nomeadamente dos sistemas de adução e aquíferos termais, foi elaborado por uma empresa especializada (a espanhola FRASA) um relatório técnico, que serviu de base às intervenções que foram feitas, e que não era favorável à existência e circulação de água naquele local, exatamente pelos riscos que pode trazer para as águas termais. A Câmara também está a diligenciar junto de uma entidade especializada em reabilitação azulejar orçamento para a limpeza e tratamento das diversas áreas, informa, acrescentando que está a envidar esforços para, logo que possível, darem inícios aos trabalhos.
A Gazeta das Caldas questionou também o CHO sobre como prevê concretizar a sua parte no plano de intervenção e qual a calendarização, mas não obteve resposta até ao fecho da edição.
O protocolo estabelecido prevê também o apoio para a requalificação do Serviço de Obstetrícia, colaboração desenvolvimento em investigação e a utilização do parque de estacionamento junto do Chafariz das Cinco Bicas, de modo a permitir o estacionamento de autocarros turísticos aos fins de semana, entre outros. ■