Câmara instalou espelhos de gel para afastar os pombos e diz que queixas diminuíram

0
843
Autarquia diz que o número de queixas tem diminuído

A Câmara das Caldas instalou 24 espelhos de gel estabilizado para afastar os pombos em zonas problemáticas, nomeadamente na Praceta António Montez, Bairro da Ponte, zona do hotel Cristal e Avenida 1º de Maio. A autarquia refere que o número de reclamações “tem diminuído substancialmente”.

Em Abril a Câmara das Caldas adquiriu 24 espelhos de gel para afastar os pombos de zonas críticas da cidade. Os espelhos de gel são discos de cinco centímetros de diâmetro com gel estabilizado composto por óleo de hortelã pimenta e citronela e têm a função de afastar os pombos através da libertação lenta do vapor, sem causar qualquer dano físico às aves.
Têm uma eficácia comprovada de três anos, mas a autarquia espera que depois desse período as aves continuem sem se aproximar devido aos hábitos comportamentais que entretanto adquiriram.
Questionada pela Gazeta das Caldas, a autarquia informou que os espelhos de gel estão a ser utilizados a título experimental. “Caso se verifique a sua eficácia, a solução será replicada noutras zonas, alargando o perímetro de colocação destes discos”, diz fonte oficial do município.
Inicialmente foram colocados destes espelhos nas zonas mais críticas da cidade, nomeadamente na Praceta António Montez, Bairro da Ponte, zona do hotel Cristal e Avenida 1º de Maio. A autarquia refere que o número de reclamações “tem diminuído substancialmente” e que tem recebido um feedback positivo “sobretudo nas áreas onde estão aplicados os espelhos de gel”.
A Câmara das Caldas salienta ainda a importância da sensibilização para a não alimentação destas aves e refere “que não há uma solução, nem imediata nem garantidamente eficaz, para esta problemática”, acrescentando que “o município está e continuará a desenvolver acções para minimizar esta situação”.
Os espelhos de gel foram instalados pela Workalp – Urban Bird Control, uma empresa de Sangalhos que é especializada nesta área. Custaram 1500 euros.
Por instalar está ainda o pombal contraceptivo, uma proposta que PS das Caldas apresentou há mais de dois anos e que foi aprovada pelo executivo camarário. Gazeta das Caldas tem vindo a questionar a autarquia sobre as razões da não implementação deste projecto, mas não obteve resposta.