Câmara prevê entregar mais de 150 cabazes alimentares durante esta semana

0
389

A Câmara das Caldas entregou, no passado dia 14 de Maio, os primeiros 20 cabazes de alimentos a famílias carenciadas do concelho. A iniciativa, que se estende durante toda a semana, está integrada nas festas da cidade e compreende um apoio social na ordem dos 10 mil euros.
Ana Leite, residente na cidade, foi uma das primeiras pessoas a receber o cabaz, na tarde de segunda-feira, no Pão de Açúcar, no Vivaci. Desempregada há cinco anos, e com mais duas pessoas em casa na mesma situação, Ana Leite já usufrui da ajuda da autarquia há vários anos e, por estar na lista, foi contactada para receber este reforço pelas festas da cidade. “É uma grande ajuda para quem precisa”, disse à Gazeta das Caldas.
As inscrições continuaram abertas durante toda a semana, mas a autarquia estima que o número de famílias beneficiadas se situe entre as 150 a 200. Os cabazes variam entre os 20, 39 e 46 euros, consoante o número de pessoas que compõem o agregado familiar e são constituídos sobretudo por leite, bacalhau, batatas e azeite.
Os cabazes foram feitos no supermercado Pão de Açúcar, que apresentou os preços mais em conta depois de uma consulta a diversas superfícies comerciais.
De acordo com a vereadora da Acção Social, Maria da Conceição Pereira, a escolha recaiu em bens alimentares que as instituições apoiadas pelo Banco Alimentar têm mais dificuldade em dar. “Procurámos fazer cabazes alternativos aos produtos que as pessoas já recebem de outras instituições de beneficência”, explicou.
A autarca, que foi a mentora da iniciativa, adiantou que nos últimos tempos têm aumentado os pedidos de ajuda, ainda que não se registe um “aumento substancial”, pois tem havido um acompanhamento por parte da rede social. Maria da Conceição Pereira explicou ainda que existem novos pobres, famílias que ficaram desempregadas, com encargos bancários  e que precisam de recorrer aos serviços sociais para a alimentação.
A oferta dos cabazes pelo Dia da Cidade começou este ano, mas o presidente da Câmara, Fernando Costa, pretende que a iniciativa continue nos próximos anos, pois “somos uma cidade da solidariedade e da hospitalidade desde que a rainha D. Leonor nos criou”.
O autarca explicou ainda que a redução de verba, que nos últimos anos tem sido feita nos espectáculos, é aproveitada para esta acção de solidariedade.

Fátima Ferreira
fferreira@gazetadascaldas.pt