Carnaval das Gaeiras dedicado à “geração sem remuneração”

0
474

O corso carnavalesco das Gaeiras vai sair à rua nos dias 6 e 8 de Março, pelas 15h00. Este ano a organização é dos grupos de Jovens Voluntários  e Jovens Viciados em Trabalho Gaeirenses, que arregaçaram as mangas para que a tradição, recentemente reactivada, não se perca.
Está prevista a participação de 12 carros alegóricos e muitos mais foliões apeados. No sábado, 5 de Março, os reis serão esperados no Convento de S. Miguel, seguindo depois para o centro da vila, onde prometem algumas surpresas.

Os jovens, acompanhados pelo artista plástico António Ribeiro (ao centro) estão a transformar os carros alegóricos que já serviram no Carnaval do ano passado

O carnaval das Gaeiras vai tentar espelhar  o país, que recuou 50 anos e está outra vez a preto e branco. Pelo menos, é assim que os 20 jovens que o estão a organizar o vêem. Começaram a trabalhar a semana passada, depois do evento estar em risco de não se concretizar por falta de organizadores.
A temática irá gerar em torno das dificuldades com que se deparam os jovens actualmente. “Encontramo-nos em pleno século XXI, mas com dificuldades que não conseguimos combater”, conta Ricardo Duque, do Grupo de Voluntários Gaeirenses, que organiza o corso em conjunto com  Grupo Viciados em Trabalho, envolvendo cerca de duas dezenas de jovens, com idades compreendidas entre os 16 e os 30 anos.
Pretendem levar para a rua o seu luto em relação a esta “geração sem remuneração”, “geração casinha dos pais e “geração não podem mais”, baseando-se na mais recente música dos Deolinda.
“É uma visão que não nos deixa sonhar muito a cores… a paleta que nos oferece é, infelizmente, a preto e branco”, acrescenta Carina Paulo, dos Jovens Viciados em Trabalho.
A organização aproveitou os carros existentes das edições anteriores, que a Junta de Freguesia guardou, e está a adaptá-los, com a ajuda do artista plástico António Ribeiro, para parodiarem com a situação actual do país. Os jovens trabalham diariamente nos preparativos, após o emprego ou as aulas, e garantem que terão tudo pronto a 5 de Março. Estão também a contactar as pessoas que costumam participar no desfile a fim de o integrarem também nesta edição.
Para o trabalho que estão a desenvolver não têm qualquer fundo maneiro. Conseguiram arranjar alguns patrocínios junto de particulares e empresas da freguesia e contam também com o apoio da Junta.
O presidente da Junta, Eduardo Silva, lembrou que fez uma reunião com as sete colectividades activas na freguesia para saber se alguma estava disponível para fazer esta edição do carnaval, depois de terminado o biénio que a anterior comissão se propôs a organizar, mas não obteve nenhuma resposta positiva.
No final dos dois anos de organização do evento, todo o equipamento que a comissão arranjou para trabalhar foi oferecido à Junta de Freguesia e os lucros obtidos (cerca de 2500 euros) foram divididos pelas instituições mais antigas, o Socorro, a Filarmónica e o Gaeirense.
O autarca incentiva os jovens a mostrar o “futuro negro” que os espera pois Portugal está numa encruzilhada difícil e, se não houver uma inversão da actual situação, “correm-se graves riscos de daqui por 25 anos não haver pensões, pelo que as pessoas devem chamar a atenção e ser irreverentes”.
Eduardo Silva destaca ainda o empenho e voluntarismo dos jovens e afirmou que a freguesia “tem neste momento cerca de 100 desempregados que estão em casa e que se se juntassem podiam fazer um carnaval fantástico e, até, satirizar a situação deles”, salientou.
Este ano os reis não chegarão, na noite de sábado, de comboio na estação das Caldas, mas sim do Convento de S. Miguel, nas Gaeiras, pelas 21h30. Tanto na noite da chegada dos reis, como no Enterro do Entrudo (que irão realizar na noite de 9 de Março) haverá uma surpresa para as pessoas que estão a assistir, prometem os jovens.
O possível lucro existente com o Carnaval irá reverter a favor dos Jovens Voluntários Gaeirenses, que organizam vários projectos em benefício da comunidade.

Fátima Ferreira
fferreira@gazetadascaldas.pt

Alunos festejam carnaval a 4 de Março

Os alunos das escolas do concelho de Óbidos são os primeiros a festejar o carnaval.
No complexo dos Arcos o convívio entre mascarados terá início pelas 9h30. Meia hora depois começa um baile de máscaras na Associação do Pinhal de Óbidos, com a participação dos estudantes da escola secundária Josefa d’Óbidos.
Pelas 10h30 os alunos do complexo do Furadouro começam a festejar o Entrudo no interior da escola, ao mesmo tempo que os alunos do complexo do Alvito desfilam mascarados, sob o tema “Estilos Musicais”, no espaço exterior.
À tarde, pelas 17h30, haverá um baile de máscaras com a participação do DJ Rúben, seguido de jantar convívio.

F.F.