Casa do Povo de Alfeizerão fez 103 anos

0
2193
Cantaram-se os parabéns e o bolo de aniversário foi distribuído por todos os presentes
Cantaram-se os parabéns e o bolo de aniversário foi distribuído por todos os presentes | DR

No dia 1 de Julho fez 103 anos que nasceu a Casa do Povo de Alfeizerão. Para comemorar o aniversário, realizou-se no dia seguinte (domingo) no salão da colectividade, um almoço-convívio, como é habitual nesta data. Estiveram presentes cem pessoas, entre sócios e amigos desta Casa.
Na ausência do presidente da Assembleia Geral, por motivos de saúde, foi a tesoureira, Paula Marques, que se dirigiu a toda a assistência para agradecer a sua comparência a este evento, que decorreu num ambiente familiar. Aproveitou a ocasião para solicitar a João Paulo Costa (representante do presidente da Câmara de Alcobaça) o apoio do município para as obras que esta instituição necessita.

A seguir o autarca agradeceu o convite e disse que a Câmara  “sabe das dificuldades que as colectividades têm e que vão vivendo mercê da boa vontade dos seus dirigentes e da ajuda de pessoas amigas, como é o caso da Casa do Povo de Alfeizerão”. João Paulo Costa disse ainda que “estou perante gente boa e quero lembrar à camada jovem que leve esta casa por bom caminho pois ela é um ponto de encontro de parte da população local”.
De seguida entregou a António Heleno dos Santos (conhecido pelo António Nabo), de 93 anos, a medalha relativa aos 25 anos de sócio. Pelo mesmo motivo foram contemplados José Manuel Neto, Maria de Lurdes Almeida e António Augusto Bernardo.
À tarde foram cantados os parabéns e partido o bolo de aniversário, que depois foi distribuído por todos os presentes. A festa continuou com a tertúlia Cantinho do Fado, composta por um grupo de fadistas veteranos de Alfeizerão, do qual fazem parte José Pereira, António Bento, Vítor Monteiro e Adalberto Pereira.
Na hora do lanche foram servidas filhós e café d’avó. Durante o evento a animação musical esteve a cargo de António Aivado, um amigo das Gaeiras, que quis colaborar nesta festa.
De referir que a refeição e o serviço às mesas foi feito por um grupo de voluntários entre os quais se incluiu o presidente da direcção, Nélson Oliveira. T. Antunes