Cozinhas para as tasquinhas da Expoeste é promessa repetida todos os anos e sempre adiada

0
1201
Noticias das Caldas
A construção das cozinhas é essencial para melhorar as condições de trabalho das colectividades que servem refeições nas Tasquinhas (foto de arquivo)

A promessa da construção de 20 cozinhas fixas ao pavilhão da Expoeste já vem desde 2014, sempre com a garantia que o projecto estará concluído no ano seguinte. Passados três anos, este plano ainda não foi executado nem o será a tempo da próxima edição das Tasquinhas, em Agosto deste ano.

“O processo está em desenvolvimento, mas  devido à complexidade logística e ao orçamento pesado [150 mil euros], só poderá ser encarado este investimento em 2018”, disse António Marques, director da Expoeste, à Gazeta das Caldas.
Mas já em 2014 este responsável afirmava que se previa que o projecto estivesse concretizado no ano seguinte. Em 2015 – sem sinal de cozinhas instaladas – António Marques realçou que era preciso avançar com aquele investimento pois só esta medida permitiria a internacionalização do evento das Tasquinhas.
Por fim, em 2016 o mesmo director da Expoeste garantia que as cozinhas se encontravam em “fase de projecto” e que a organização não iria descansar enquanto não conseguisse concretizar esta promessa.
Agora, a cinco meses das próximas tasquinhas, António Marques disse à Gazeta das Caldas que o prometido ainda não será para cumprir em 2017. Talvez em 2018…
Projecto existe. Até já se sabe que as cozinhas terão a dimensão de 6×3 metros e que cada uma delas terá uma parte instalada fora do pavilhão da Expoeste. A sua instalação é imprescindível para que as colectividades que participam nas tasquinhas tenham melhores condições de trabalho durante os 10 dias do evento. Com cozinhas fixas, os voluntários não terão que continuar a transportar e montar todos os seus equipamentos para preparar as refeições. Também deixará de ser necessário reinstalar as canalizações edição após edição.
Além de contribuírem para um melhor funcionamento das Tasquinhas, as novas cozinhas proporcionarão a organização de outro tipo de eventos na Expoeste.
O calor que se faz sentir dentro do recinto é um dos graves problemas da Expotur, mas que poderá ser resolvido ainda este ano, com a instalação experimental de um sistema de ar forçado que regulará a temperatura do Pavilhão. “Se efectivamente esta primeira experiência resultar, pretendemos avançar com um projecto concreto”, adiantou António Marques.
A Festa de Verão Expotur – Tasquinhas realiza-se todos os anos na Expoeste, na primeira quinzena de Agosto, e atrai mais de 150 mil visitantes que se deslocam ao evento pela gastronomia e animação musical.

Noticias das Caldas
Tasquinhas | N.N.