Desenhos do Bruno Academia é montra criativa do 25 de Abril de 1974

0
639
Bruno Prates ladeado pelos alunos que participam na exposição

“(Bem) menores de 50 anos desenharam o 25 de Abril” intitula a mostra coletiva, patente até 30 de junho, na montra da Academia, dando também a conhecer aquele espaço de trabalho

Joana Sousa fez um quadro inspirado no Beijo, do pintor austríaco Gustav Klimt. Ao pesquisar, a jovem percebeu que durante o período da ditadura eram proibidas manifestações de afeto em público e que estas eram castigadas com multa. Além disso, “com o nacionalismo, ficámos estagnados em relação à arte, por isso quis mostrar uma pintura de alguém de fora e que na altura teria sido censurada pelo afeto demonstrado”, explicou a sua autora durante a inauguração da exposição coletiva 25 de Abril por (bem) menores de 50 anos, que decorreu na tarde de 29 de maio e é composta por trabalhos realizados pelos alunos da academia. Ao todo são 65 trabalhos expostos na montra do 1B r/c da Rua 15 de Maio, o “quartel general” da Academia, que acolheu pela primeira vez uma exposição dos seus alunos.
Nos últimos dois meses os alunos, com idades compreendidas entre os sete e os 18 anos, foram desafiados a “colocar toda a sua criatividade” em prática para trabalhar um período da história que não viveram. Feita a pesquisa, resultaram trabalhos com abordagens tão diversas quantos os materiais e técnicas utilizadas, desde desenhos em grafite, lápis de cor, aguarela, pastel seco, pastel de óleo, acrílico, como colagens, recorte, gravura, trabalhos em madeira, gesso, cartão e vidro. “Foi um desafio grande, que obrigou a estarmos a trabalhar, ao mesmo tempo, em diversos materiais”, reconheceu Bruno Prates. O professor de artes e cartoonista salienta que, ao contrário do que acontece na escola, ali a liberdade é tal, que tiveram de se adaptar ao que os alunos escolheram, nomeadamente às madeiras e ao metal. “Temos cerca de 15 alunos em simultâneo e podem ser 15 técnicas diferentes, isso foi muito exigente”, referiu o responsável, satisfeito com o resultado alcançado.

Muitos pais e familiares marcaram presença na inauguração

No período das férias da Pascoa, os alunos da Academia visitaram o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (Maat) e o Museu Berardo (CCB), para perceberem o que é a arte e que os objetos só são arte se forem mostrados. “E tentámos passar essa aprendizagem também para aquilo que eles tinham no papel”, complementa Bruno Prates, sobre a mostra que esteve incluída no Caldas Late Night (CLN) e está patente até 30 de junho.
Entre os projetos futuros estão a realização de ilustrações para o calendário da CRAPAA e uma “arruada” ao estilo Urban Sketchers pela cidade, que resultará na criação de postais que serão depois expostos na papelaria técnica Provoca Arte.
No início de setembro, os alunos mais velhos da Academia irão a Madrid, visitar os museus do Prado, Rainha Sofia e Thyssen, onde terão “oportunidade de ver ao vivo o que aprendem em História da Arte”, concretizou Bruno Prates. ■