Detido em restaurante de Peniche por violência doméstica e posse de arma proibida

0
335
Gazeta das Caldas

Um homem de 39 anos foi detido pela Polícia de Segurança Pública num restaurante de Peniche no dia 7 de agosto por violência doméstica e posse de arma proibida.

A força policial recebeu “um pedido de auxílio por parte de uma senhora que procurava proteger-se das agressões, ameaças e injúrias do seu companheiro, num estabelecimento de restauração daquela cidade”, por volta das 6h30.

“De imediato foi ativada uma equipa do serviço de patrulha que, volvidos breves minutos, chegou ao local e fez cessar os ilícitos referidos, promovendo a realização de revista de segurança ao suspeito”, explicou a PSP.

“No decorrer desta revista foi detetada uma arma de fogo municiada e cerca de 7 doses
de haxixe, ocultadas no vestuário”, referem, notando que “foi realizada busca ao veículo em que o suspeito se fazia transportar tendo sido detetada e apreendida mais uma munição de calibre 6,35mm”.

O suspeito foi detido e foram desenvolvidas, “no imediato, um conjunto de diligências com vista à cabal recolha de prova atendendo a que se trata de crime de investigação prioritária, Violência Doméstica, cujo autor apresenta antecedentes por este tipo de crime”.

A Polícia de Segurança Pública esclarece ainda que “o suspeito foi presente à autoridade judiciária, em Leiria, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação mais gravosa de prisão preventiva e, posteriormente, conduzido a Estabelecimento Prisional de Leiria”.

A PSP acredita que, “com esta ação policial o Comando Distrital de Leiria acredita reforçar a tranquilidade pública da comunidade residente e que diariamente protege, reiterando que manterá especial atenção a este e qualquer outro fenómeno que afete a segurança dos nossos concidadãos, aproveitando ainda para apelar a toda a população para a necessidade de comunicação e participação às autoridades de quaisquer atitudes e comportamentos que considerem suspeitos, constituindo-se como um forte contributo para o combate ao crime de modo mais eficaz e, assim, incriminar os seus responsáveis”.