Eco-freguesias de Caldas e Óbidos defendem o ambiente

0
64
A reabilitação de espaços verdes é uma das apostas da União de Freguesias das Caldas

Freguesias apostam na sustentabilidade da comunidade. Diversos projetos têm sido desenvolvidos, que lhes garantiram aquele galardão nacional

A União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e S. Gregório é uma eco-freguesia desde junho de 2019. A participação da autarquia no seminário nacional Eco-Escolas, em janeiro de 2018, motivou o interesse para integrar o projeto.
Desde então, a junta tem dinamizado diversas atividades e iniciativas, tendo em conta a sustentabilidade ambiental, o uso adequado de recursos e, sempre que possível, reutilizando materiais em fim de vida, como foi o caso do reaproveitamento de abrigos dos autocarros que foram restaurados. Também naquelas estruturas foram inscritas frases de um concurso promovido junto das escolas do 1º ciclo da freguesia, com um tema do ambiente: “Limpa a tua freguesia, com alegria”. Recentemente foram feitas plantações de jovens árvores na Mata Rainha D. Leonor e junto à linha de água do pinhal de Santo Izidoro, junto à ESAD.

Recentemente foram feitas novas plantações junto à linha de água do pinhal de Santo Izidoro

Durante este período foram também desenvolvidos os projetos “Eco-famílias” e “Eco-funcionários” dinamizados pela ABAE, que consistem em ações para sensibilizar os colaboradores da junta e as famílias da freguesia, ao mesmo tempo que contribuem para a pontuação da candidatura a Eco – Freguesia.
Estes projetos consistem na formação sobre temas do ambiente e sustentabilidade, colaborando na sensibilização de proximidade e de adoção de boas práticas e consciência ambiental. São, também, desenvolvidos boletins anuais, com um separador dedicado ao Eco- Freguesias. As edições de 2018 e de 2019 são documentos recicláveis, ou seja, o seu fim tem um impacto positivo na economia circular e para o ambiente.
O presidente da junta, Vítor Marques, lembra que a autarquia dá uma atenção especial ao ambiente e que este galardão acaba por evidenciar um conjunto de iniciativas e ajudá-los a corrigir outras, levando-as para práticas mais sustentáveis.
Tendo em conta que o projeto é bianual, em janeiro foi submetida nova candidatura, cujo resultado será conhecido em meados do ano.

Estas juntas de freguesia têm apostado na manutenção dos espaços verdes, ações de sensibilização e dinamização de iniciativas sustentáveis

 

Aposta em jardins sustentáveis
Já a Junta de Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Sobral da Lagoa, no concelho de Óbidos, é, pela primeira vez, candidata ao programa “Eco-Freguesias XXI”. A participação começou em fevereiro do ano passado e, desde então, foi elaborada a candidatura que entregou em janeiro para obtenção do galardão “Bandeira Verde”.
Com a adesão ao programa assumiu-se como freguesia livre de herbicidas, pelo que há um ano que não são utilizados produtos químicos para controlo das ervas espontâneas. Também já foram instalados 49 redutores de caudal nas torneiras dos edifícios da junta, sanitários públicos e jardins de infância, assim como 20 placas dispensadoras de sacos para dejetos caninos.

Ação de limpeza das margens da Lagoa dinamizada pela Junta de Freguesia de Santa Maria, S. Pedro e Sobral da Lagoa

Como forma de reconhecer as famílias mais amigas do ambiente a junta promoveu o projeto/concurso “Eco Famílias XXI”, em que a entrega dos prémios resultou numa ação de limpeza das margens da Lagoa de Óbidos. Foram identificadas plantas nativas, lançado um flyer turístico da freguesia, vídeos de sensibilização e eco-cinzeiros de bolso.
Esta autarquia criou um viveiro de plantas nativas que irão servir de base para a conversão de jardins convencionais em ambientes autossustentáveis. Este é, de resto, o projeto de maior amplitude da autarquia, que pretende que esta transformação gradual, mais sustentável, seja acompanhada pela população, que poderá aproveitar para colher frutas ou plantas aromáticas e utilizar nas suas casas. Muitas destas iniciativas terão continuidade, nomeadamente as de sensibilização, limpeza da lagoa e a conversão dos jardins em espaços autossustentáveis. Em breve a junta de freguesia terá kit’s de redução de caudal para que a população possa adquirir e instalar fomentando assim a poupança de água. ■