Egg Run dos Star Riders proporcionou dia diferente

0
386
Batismo de mota foi um dos grandes momentos desta iniciativa solidária

Motards proporcionaram experiência a utentes do Centro de Educação Especial e famílias apoiadas pela OT

O último domingo foi um dia diferente e de festa para cerca de 60 crianças das famílias apoiadas pela Ordem do Trevo e 30 utentes do Centro de Educação Especial Rainha D. Leonor. Na Expoeste, a Egg Run dos Star Riders, trouxe momentos de alegria, com a possibilidade de experimentarem andar nas ruídosas motas, ver pipocas a saírem de um tubo de escape ou fazerem uma caça aos ovos da Páscoa. Além disso, os motards angariaram bens alimentares e de primeira necessidade, assim como roupas, brinquedos e material escolar para serem distribuídos.
Mal as crianças chegavam eram-lhes oferecidas t-shirts, depois podiam brincar nos insufláveis e fazer pinturas faciais, jogar ou participar na caça aos ovos da Páscoa. Mas os grandes momentos dão-se no batismo de mota, que lhes permite dar uma volta nestes ruídosos veículos de duas rodas. Os sorrisos, os abraços, os gritos de felicidade foram o melhor testemunho da pertinência da atividade. Idalina Costa, utente do Centro de Educação de Especial Rainha D. Leonor disse à Gazeta das Caldas que tinha gostado de andar de mota, já depois de abraçar os amigos, os técnicos da instituição e os motards.
A Egg Run surgiu em 2006 e realizou-se pela primeira vez no Oeste, onde a associação tem realizado os seus jantares de Natal, mais especificamente na Atouguia da Baleia. Nuno Silva, que é do Bombarral, mas vive nas Caldas, é o responsável pela delegação da zona centro do clube, que tem mais de 120 membros em todo o país. O evento permite que os mais novos se tornem “para a vida uns pequenos motards”, afirmou José Dinis, presidente do clube e um dos fundadores. “Para o ano vai ser especial, porque vai ser o vigésimo ano”, disse, recordando que a criação do evento se prendeu com o facto de, no Natal, existirem muitas iniciativas solidárias. “Quisemos fazer uma coisa diferente, numa época festiva e lembrámo-nos da Páscoa”.
José Viegas, presidente da Ordem do Trevo, salientou a importância desta iniciativa. Por sua vez, Ana Domingos, do Centro de Educação Especial Rainha D. Leonor, salientou que sempre que seja possível desenvolver iniciativas com outros públicos vão fazê-lo. “Os nossos jovens têm sempre muita vontade de participar, de estar com outras pessoas e ambos ganham com isso. Estavam muito satisfeitos por poderem andar de mota e destemidos!”. ■