EHTO mostrou que “há sabores que unem gerações”

0
438
O projeto juntou as turmas de 2º ano de Técnico de Cozinha e Técnico de Restaurante e Bar

A proximidade entre gerações e entre famílias e a escola foram mote para um projeto intergeracional que terminou a 17 de maio

À chegada à escola, os pais e avós de alguns dos alunos do 2º ano de Técnico de Cozinha e Técnico de Restaurante e Bar eram convidados a tomar um Bloody Mary, um Cuba Livre ou um Cosmopolitan, cocktails associados às décadas de 50 e 80 do século passado, e ano 2000 (coincidindo com as gerações presentes). A acompanhar foram servidos melão com presunto, carpaccio de polvo, açorda de petingas e sopa da pedra, fechando o primeiro de quatro momentos que compuseram o evento “sabores que unem gerações”, que encerra o projeto integradorm que as turmas dinamizaram durante dois anos letivos. Os pratos da ementa, que deram destaque ao salmão e à jardineira, bem como as sobremesas, também proporcionaram uma viagem ao tempo de juventude dos avós e pais dos alunos. Foram confecionados pelos alunos, sob orientação dos chefs Tiago Costa e Ricardo Ferreira. Na sala, a turma da Restaurante e Bar foi coordenada por Marisa Rosa e João Dinis.
A animação também marcou presença, com os alunos a recriar momentos musicais das várias décadas, como foi o caso de Amália Rodrigues (década de 50) e a sua conhecida “Uma casa portuguesa), Michael Jackson (década de 80) e Eminem (década de 2000).
O projeto, denominado Encontros Geracionais e que pretendeu fazer a ligação entre a escola e a família teve um primeiro encontro em janeiro de 2023, quando os avós foram à EHTO e cozinharam para os netos. Depois houve um lanche, com a presença do grupo Musicando, da Universidade Sénior das Caldas da Rainha, e apresentada a curta metragem “Sonho da Rainha D. Leonor”, feito pelos alunos e utentes da mesma universidade.
O último momento foi uma “viagem através dos cinco sentidos”, rematou a professora e orientadora das turmas que dinamizaram o projeto, Lurdes Eloi. A responsável lembrou que a sociedade atual “coloca os avós nos lares, os filhos na escola e esquece-se de fazer esta ligação”, destacando que os “os avós são o maior património que eles podem ter e há saberes que se vão perdendo, pois os jovens acabam por estar muito ligados às tecnologias”. O sucesso, está, na sua opinião, nesta proximidade entre famílias e a escola. Para o diretor da EHTO, Daniel Pinto, este “encontro geracional devia de ser permanente”, defendendo um reforço da ligação entre a escola e a Universidade Sénior. Também a vereadora da Educação, Conceição Henriques, destacou a aprendizagem que os jovens podem ter com os mais velhos. A autarca deu ainda nota das iniciativas realizadas pela escola e, sobretudo, o “sentido que atribui às coisas que faz”.
A 28 de maio terá lugar o evento “A ferro e fogo”, que este ano decorrerá nos Jardins de Água. O repasto tem um custo de 20 euros e os interessados poderão inscrever-se até 27 de maio, através dos 262001500 ou aferroefogo@escolas.turismodeportugal.pt (com lotação limitada). ■