Escolas alternativas continuam a crescer na zona

0
635
Brave Generation Academy abriu novo polo no Royal Óbidos Spa & Golf Resort

Brave Generation Academy (BGA) expande-se para Óbidos, em cujo polo já não sobram muitas vagas

A Brave Generation Academy (BGA), fundada pelo “tubarão” Tim Vieira, abriu um novo polo em Óbidos, no Royal Óbidos Spa & Golf Resort, onde as aulas já começaram a 4 de setembro, havendo ainda algumas vagas. Na região, já existe, desde 2021, um “hub” nas Caldas, na Praça 5 de Outubro, igualmente capacitado para acolher 30 jovens, entre os 12 e os 18 anos, que também ainda tem vagas, contou Sofia Borges, coordenadora pedagógica da BGA, à Gazeta das Caldas.
Há uma carrinha que transporta diariamente jovens das Caldas para Óbidos, a partir de um ponto de encontro, uma vez que há “muitos alunos” a frequentar ambos os polos, alternadamente, continuou.
A escola preconiza um ensino individualizado, flexível e vocacionado para a entrada em universidades internacionais, que é procurado sobretudo por alunos estrangeiros, no caso do hub das Caldas.
O background académico dos alunos é variado. Há quem venha do ensino doméstico, mas também de escolas públicas, privadas ou internacionais, “na mesma proporção”.
A escola tem a certificação da Cambridge School e conta com três níveis de ensino (Lower Secondary, IGCSE e A-Levels), com a duração de dois anos cada.
Em cada hub existem dois “learning coaches” que mentoreiam os alunos e desempenham um forte papel na orientação vocacional e no planeamento dos objetivos de aprendizagem. As aulas, que já estão gravadas, são assistidas pelo computador ou tablet, sendo dadas pelos “course managers”, ou seja, os professores de cada disciplina.
Os hubs estão abertos das 8h00 às 18h00, sendo que os alunos podem selecionar os horários em que pretendem frequentá-los, sendo obrigatório, no mínimo, cinco horas por dia, cinco dias por semana.
A escola promove ainda parcerias com empresas locais, com o objetivo de proporcionar aos alunos experiências de “job shadowing”, isto é, acompanhar um trabalhador no seu dia-a-dia. Procura-se ainda aproveitar o que é oferecido pela comunidade local em termos de restauração, voluntariado ou atividades desportivas e artísticas.
Para frequentar a escola é necessário pagar 485 euros por mês, valor que cobre os custos da certificação internacional de Pearson e de Cambridge, “que abre portas nas melhores universidades do mundo”. ■