Luís Cid apontou que a escola poderá ter que reduzir a oferta de novas vagas para metade

Escola Superior de Desporto tem 100% de ocupação de novas vagas. Diretor lamenta não poder levar a concurso mais vagas por falta de professores

A Escola Superior de Desporto de Rio Maior tem uma taxa de ocupação de vagas de 100%, mas o diretor Luís Cid disse, na sessão solene de início de ano letivo do passado dia 29 de setembro, que o sucesso da procura de alunos está a ser fortemente condicionado pela falta de pessoal docente, alertando, até, para o perigo da escola ter que reduzir para metade as vagas disponíveis no futuro, caso este problema se mantenha.
Luís Cid considera que a falta de docentes é “o nosso maior desafio neste momento”, reclamando que “não é possível, que uma Escola que vai chegar em breve aos 1100 alunos tenha apenas 39 docentes de carreira”. E alertou que “o nosso projeto educativo está em risco de colapsar. Se nada for feito não conseguiremos aguentar mais o barco”.
O diretor da ESDRM disse que a escola tem o maior rácio de alunos por docente de carreira de todas as Escola do Politécnico (cerca de 30 alunos por professor, quando deveria ser um pouco mais do que metade), o que está a provocar “uma tremenda exposição ao risco, pela necessidade elevada de contratação externa”, cerca de 20 professores, cenário que cria “enormes dificuldades de preparação dos anos letivos e de sustentação de todas as tarefas”.
Luís Cid disse que a escola já não teve possibilidade de levar vagas a concurso pela falta da contratação de docentes e deixou expresso um aviso aos decisores: “caso este cenário se mantenha, não teremos outra alternativa, senão o de reduzir as nossas vagas para metade”.
Este problema ganha outra proporção dada a recetividade que os alunos têm tido à oferta educativa da ESDRM. Luís Cid disse que a escola teve 100% de colocações, “que representam 36% das colocações do Politécnico de Santarém” e afirmou que as classificações de entrada “continuam a aumentar, com 4 dos nossos cursos a estar no top 5 do Politécnico com média de entrada a rondar os 13,6 valores”.
Na primeira fase do Concurso Nacional de acesso, os cursos da ESDRM tiveram 1344 candidatos, “que representam uma procura 5 vezes superior às vagas disponíveis”, acrescentou.
Além da questão do pessoal docente, o diretor lembrou outro problema que a ESDRM enfrenta, nomeadamente com o arrastar do processo de construção da residência de estudantes. Esta é uma infraestrutura “mais do que necessária”, recordou Luís Cid, sublinhando que “os nossos alunos, em especial os novos estudantes, têm enormes dificuldades em encontrar casa em Rio Maior”. ■