Felicidade no Trabalho

0
266

 

Álvaro Cidrais
Fundador da A.Cidrais GPI

A Felicidade no Trabalho ajuda a gerir os tempos turbulentos e intensos de mudança que atravessamos. Aumenta a produtividade. Gera valor que pode ser captado e distribuído, reinvestido, para reproduzir … novo valor. É um investimento e um fator de desenvolvimento das pessoas, das equipas, das organizações, dos negócios e dos territórios.
Vivemos um contexto de Transformação Digital. Muda tudo, em conjunto, em simultâneo, em interação. Há novas variáveis e players, muito impactantes: Digitalização da vida e dos negócios; Players miúdos com éticas novas (influencers e hackers); O Covid19 fez repensar os sentidos de vida; Há mais redes cruzadas de informação e de aprendizagem, etc.
Há uma imensa necessidade em proceder a múltiplas recombinações das velhas variáveis.
As soluções «antigas» falham com regularidade. Criam frustração, fracasso e infelicidade (desmotivação, tristeza, sofrimento, mágoa, esgotamento). Há mais improdutividade, perda de competitividade e insustentabilidade. Quanto custa a infelicidade? Que padrões de avaliação usamos? Quais as oportunidades que desperdiçamos?
Não há nada mais improdutivo do que um funcionário infeliz.
Nesta Transformação digital, a Felicidade é uma abordagem possível, valiosa, criativa, um fator de desenvolvimento e de resiliência ou adaptação à mudança. Cria saúde mental e Valor.
Não há nada mais criativo e produtivo do que um funcionário feliz!
A Felicidade cultiva-se, planeia-se, num ciclo de melhoria contínua (PDCA). Já há uma «Norma» na forja. Desenvolve-se com modelos como o PermaPlusMais, aproveitando a história de cada um, criando ambientes de bem-estar em que o Ikigai pessoal se expressa com autenticidade. Todo este trabalho tem por base modelos e teorias amadurecidos, como a pirâmide de Maslow, o canvas de avaliação de Álvaro Dias, o modelo da Liderança Saudável da MCkinsey.
Há outros modelos de liderança para a felicidade. Por exemplo, o dos 3 eixos de Álvaro Cidrais ou da Liderança Regenerativa de Hutchins e Storm. Integram as competências dos hemisférios esquerdo e direito do cérebro, através da recombinação orgânica e diversa das inteligências (espiritual, emocional e social) que o sistema límbico processa. Mobilizam o talento de cada pessoa, a partir do desenvolvimento dos seus padrões neuronais e psicossomáticos, dos seus carateres, trabalhados em sistemas de colaboração, em ambientes positivos.
A Felicidade é uma Jornada! Um processo colaborativo de trabalho e aprendizagem. Trabalha-se e treina-se em conjunto, por exemplo, através de Laboratórios de Felicidade (dinâmicas de 2 horas de colaboração positiva, com abordagens de design thinking) ou com a criação de projetos e Planos de Felicidade e de bem-estar revistos trimestralmente.
A Felicidade cultiva-se. É um investimento mensurável! Não é apenas uma cena fixe! ■