Festival do Chocolate mais internacional e profissionalizado

0
406
O bom tempo que se fez sentir no últmo fim-de-semana, levou milhares de visitantes ao evento, compensando as primeiras duas semanas

Apostar na internacionalização, profissionalização e formação são objetivos do evento, que este ano assinalou a sua 21ª edição e teve 70 mil visitas

O mau tempo que se fez sentir nos dois primeiros fins de semana de março, juntamente com um domingo de eleições, contribuíram para que o número de visitantes ficasse aquém das expetativas. Ainda assim o último fim de semana foi de grande afluência, com a organização a contabilizar 70 mil visitas nesta edição, que teve por tema “Celebrar Portugal” e terminou a 17 de março.
Ricardo Duque, administrador da Óbidos Criativa, destaca a diversidade de conteúdos e o número de profissionais presentes. “Tivemos um crescimento grande no que diz respeito às áreas temáticas, este ano com a concentração na cerca do castelo, voltando ao modelo antigo”, explicou à Gazeta das Caldas.
O evento, destinado às famílias, vem tendo um público mais profissional do setor da hotelaria e turismo, salienta o responsável, dando nota que este interesse torna-o “diferenciador” no contexto nacional. “Hoje há uma valorização muito maior do bom chocolate e queremos mostrar aos nossos visitantes todas as oportunidades que existem para a sua aplicação”, disse, dando nota que os showcookings são uma das principais marcas do festival, com a participação de mais de 60 chefs, dos principais restaurantes e pastelarias do país. Esta edição contou também com a presença de vários chocolateiros, que ali promoveram a sua marca, e atividades para os mais novos, com a dinamização de atelier de ovos da Páscoa.

As sessões de showcooking foram dinamizadas por mais de meia centena de profissionais e alunos das escolas de hotelaria

As esculturas em chocolate, que são a grande referência do festival, este ano foram sendo criadas durante o certame, permitindo aos visitantes ver a sua construção. Em exposição esteve o processo de produção do chocolate e, diariamente, houve uma programação cultural diversificada, representando a identidade lusa.
O evento é visitado maioritariamente por portugueses (cerca de 60%), seguido de brasileiros e espanhóis, “que reconhecem todas as peças expostas e percebem que este evento é uma mostra de Portugal de norte a sul”, resume Ricardo Duque.
A aposta de futuro passa pela internacionalização, profissionalização e formação. Os cursos profissionais ligados à gastronomia e pastelaria têm tido uma presença cada vez maior e a organização considera que este é um contributo para que os profissionais também se sintam mais valorizados. Ricardo Duque destaca a curadoria do chef Francisco Siopa e a presença de profissionais da área da chocolataria, sobretudo brasileiros, mas também espanhóis, franceses e italianos, países com relevância ao nível do trabalho com o chocolate. O presidente da Câmara, Filipe Daniel, deixa desde já um desafio para a edição de 2025: “produzir o doce que será a identitário de Óbidos”. O autarca enfatizou ainda “o sucesso do evento” e a “crescente internacionalização”, destacando “a importância do festival, não apenas para a economia local, mas também para a promoção da imagem de Óbidos a nível global”.

O chef Léo Vilela criou o busto de Rui Nabeiro em chocolate

Rui Nabeiro homenageado
Rui Nabeiro, fundador da Cafés Delta, foi homenageado com um busto de chocolate, de 70 quilos, criada pelo chef Léo Vilela. “O comendador Rui Nabeiro foi um excelente exemplo de alguém que, sem nunca ter pedido nada em troca, deu muito de si”, referiu o presidente da Câmara, Filipe Daniel, destacando o “homem de sorriso largo e que tinha sempre algo dele para dar”. Presente na cerimónia, que decorreu a 14 de março, João Manuel Nabeiro, filho do comendador, agradeceu a homenagem a “um homem que dedicou a sua vida à excelência, ao empreendedorismo e, acima de tudo, à família e à comunidade”.

Aluna da EHTO venceu concurso
Ana Oliveira, antiga aluna da EHTO no Curso de Gestão e Produção de Pastelaria e atualmente a trabalhar na área de pastelaria do Hotel Penha Longa foi a vencedora do concurso chocolate Rising Star, dedicado à promoção e divulgação dos novos talentos da Pastelaria, Cozinha, Chocolataria e Confeitaria. O também antigo aluno da mesma escola, Maksym Fishchuk, que se encontra a trabalhar na área de pastelaria do Hotel Ritz, que obteve o segundo lugar. ■