Há menos portugueses a pensar trocar de automóvel

0
437

Em Portugal, no ano de 2020, as vendas no setor automóvel registaram quebras acima dos 32% face a 2019, um valor superior ao da média europeia (-28%) e à média a nível mundial (-17%).
Estes dados apontam para menor abertura dos consumidores para realizar investimento na aquisição de automóvel novo. No fim de 2019, 35% dos inquiridos pelo Observador Cetelem em Portugal manifestavam vontade em comprar um automóvel durante 2020. Um ano depois, este número caiu para os 23%, novamente abaixo da média europeia (que também diminuiu de 34% para 27%) e da média a nível mundial (que caiu de 41% para 32%).
A pandemia teve impacto direto nessas intenções de compra, ainda que de forma moderada em alguns casos.
A nível mundial, pouco mais de um terço dos indivíduos considera a pandemia um fator preponderante na intenção de compra de um veículo. Em Portugal, apenas uma em cada cinco pessoas fazem essa associação direta, contrastando com países como os EUA e o Reino Unido, onde mais de 1 em cada 2 pessoas referem que foram influenciadas pela covid-19.
Questionados sobre se a crise sanitária e respetivas consequências económicas terão influência no valor que tencionam gastar na compra de um veículo, 40% dos portugueses inquiridos afirmam que sim, pois será menor o valor que terão disponível. Por outro lado, 29% afirmam que o valor disponível será maior. Estes vão ao encontro da média europeia (38% gastarão menos e 25% mais), mas contrastam com a média mundial, em que as respostas se equilibram – 35% considera que gastará menos e 35% que gastará mais. ■