Já está aberto o primeiro bar de gelo instalado num centro histórico

0
499
No bar é possível saborear diversas bebidas em copo de gelo

Mónica Ribeiro, o marido e os três filhos, deslocaram-se do Cadaval a Óbidos, na tarde de 4 de Dezembro, para conhecer o bar do gelo. “Vim porque recebi uma mensagem no facebook e resolvi conhecer juntamente com a família esse espaço”, contou à Gazeta das Caldas a primeira visitante enquanto provava uma ginja num copo de gelo. E porque foi a primeira a visitar aquele bar inédito com temperaturas sempre negativas, teve direito a mais uma bebida grátis.
“Aconselho a virem, é uma experiência diferente”, diz Mónica Ribeiro,  destacando que é importante estar agasalhado porque é realmente frio. Quem também tem que estar sempre protegido do frio é Francisco Brandão, um dos funcionários do bar, que abriu no passado Sábado e vai manter-se até Janeiro.
O jovem de 22 anos, que já tem experiência de barman, aproveita as férias para estar a trabalhar e, desta vez, apostou num desafio novo. Sempre em dupla, os funcionários trabalham oito horas por dia, em turnos entre meia hora a uma hora dentro do bar.
“É frio, mas é seco”, diz, garantindo que é mais fácil de suportar do que o frio da rua no Inverno. “Também dançamos e mexemo-nos um bocadinho mais e passamos assim o tempo”, rematou.
O bar de gelo, embora integrado na Vila Natal, começou antes e possui um bilhete, de 10 euros, que é independente do custo do evento natalício. À entrada é fornecido a cada cliente do bar um casaco e luvas especiais para este tipo de temperaturas. Entrando no recinto, de 24 metros quadrados, é possível saborear a especialidade do espaço – vodka com ginja, ou vodka com laranja, ginja e ainda sumo de laranja.
Os que quiserem levar recordação poderão também tirar uma fotografia instalados numas poltronas esculpidas em gelo, ou junto a uma mesa glaciar.
De acordo com o administrador da Óbidos Patrimonium, José Parreira, com o bar do gelo pretenderam criar mais uma experiência na vila, além do património existente. “Não é fácil de inovar, está tudo inventado, mas num centro histórico é o primeiro”, diz o responsável, adiantando que relativamente aos bares de gelo o mais próximo que existe, e a funcionar durante todo o ano, é em Madrid.
O equipamento fica situado na rua Direita (no antigo quartel dos Bombeiros) fora da cerca, onde se concentram a maioria das actividades da Vila Natal, porque permite outro tipo de horário, “estar aberto até mais tarde, sobretudo aos fins-de-semana e até ao final de Janeiro”.
No mesmo dia foi inaugurado, na Praça de Santa Maria, o Chocolate Lounge, um espaço gourmet inteiramente dedicado ao chocolate, com a venda de bombons e chocolate e a realização de eventos relacionados com este ingrediente, como workshops e apresentação de livros.
A primeira iniciativa terá lugar já no dia 18 de Dezembro. Será um workshop onde o formador Sami Aboubaker irá ensinar a fazer um tronco de Natal. A acção, com um custo de 25 euros por pessoa, irá decorrer das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. As inscrições poderão ser feitas até 15 de Dezembro através do e-mail [email protected]
“Sem querer entrar em competição com o comércio local desenvolvemos um projecto inovador”, explicou José Parreira, adiantando que ali estão à venda apenas chocolates da marca Valhrona.
Em 2011 deverá ser criada a Fábrica do Chocolate, que irá funcionar dentro do próprio Chocolate Lounge. “As pessoas vão poder assistir à confecção do chocolate e, em simultâneo, provar e comprar”, adiantou José Parreira.
O Festival do Chocolate em 2011 irá decorrer entre os dias 17 de Março e 3 de Abril, entre quinta-feira e domingo. Entretanto, o chocolate parece ter pegado a moda e, até 12 de Dezembro decorre o Chocolate Fest, no Casino Figueira (Figueira da Foz) com a exposição de esculturas em chocolate, palestras, bebidas e bolos feitos à base deste ingrediente e a apresentação de livros.

Fátima Ferreira
[email protected]