José Luís Carneiro visitou obras do Comando Sub regional do Oeste

0
82
O governante conheceu as instalações e o como operam os profissionais que nelas trabalham

Ministro da Administração Interna falou nas Caldas dos investimentos que o governo está a fazer na Proteção Civil

O ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e a secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, estiveram na passada quarta-feira nas Caldas da Rainha para visitar as obras da empreitada do Comando Sub regional de Emergência e Proteção Civil do Oeste e para a cerimónia de assinatura do contrato de aquisição de 45 veículos de combate aos incêndios rurais por parte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).
José Luís Carneiro afirmou que a visita ao centro do Comando Sub regional do Oeste vem sublinhar o investimento que governo e ANEPC estão a realizar na capacitação da Força Especial de Proteção Civil, nomeadamente com a aquisição deste conjunto de viaturas, que começam a ser entregues já em fevereiro, num esforço financeiro de 2,2 milhões de euros.
O ministro salientou que a ANEPC tem cerca de 40 milhões de euros de investimento em curso na implementação e equipamento dos 24 comandos sub regionais, estruturas que o próprio lançou quando assumiu o ministério.
Além destes investimentos, José Luís Carneiro disse que há mais 14 milhões de euros de investimento em curso para aquisição de 81 veículos operacionais para as associações humanitárias de bombeiros, quer para a Força Especial de Proteção Civil. E mais 7 milhões de euros em equipamento de proteção individual para os bombeiros. Em marcha está ainda “um investimento expressivo na capacitação dos recursos humanos por intermédio da Escola Nacional de Bombeiros”, num esforço para capacitar mais de 3 mil soldados da paz “nas suas competências específicas para as ameaças e os riscos de proteção civil”, informou o ministro.
A capacitação da Força Especial de Proteção Civil, que em breve vai receber mais 117 efetivos, “permite termos uma proteção civil nacional mais preparada para cumprir a sua missão nacional, mas também para participar nas missões internacionais”, destacou.
José Luís Carneiro quer uma Proteção Civil mais articulada com as diferentes entidades de resposta de emergência e isso significa o reforço da aposta na formação, também, dos bombeiros, através da Liga de Bombeiros. “Uma das principais prioridades que tínhamos para 2024, 2025 e 2026 era a capacitação das estruturas humanas que integram o dispositivo nacional de proteção civil, porque o risco e as ameaças que são cada vez mais complexos, mais exigentes e exigem uma preparação cada vez mais qualificada”, disse. Para isso, está em curso um processo de reforma da Escola Nacional de Bombeiros, “para decisão do futuro governo”, sublinhou, para formação de todos os agentes de proteção civil, não só com o conhecimento construído a nível nacional, mas também no quadro da União Europeia e das Nações Unidas.
Na abertura da sessão José Duarte da Costa, presidente da ANEPC, salientou o impulso dado por José Luís Carneiro para a criação dos comandos sub regionais, mas também o papel dos autarcas para a concretização desse processo. José Duarte Costa elogiou a postura da autarquia caldense no apoio à construção das instalações do Comando Sub regional do Oeste. “Na primeira vez que visitámos o complexo, só havia terreno, não havia mais nada, e o que é certo é que, num prazo de dois meses se levantou uma sala de operações e, hoje, passado poucos meses de termos começado essas obras, temos todo este edifício construído”, apontou.
Vítor Marques, presidente da Câmara das Caldas, também sublinhou o “tempo recorde” em que a obra, que está em processo de finalização, foi construída, dando mérito ao seu vice-presidente, Joaquim Beato. O autarca realçou que a criação das estruturas sub regionais de protecão civil apontam a uma dinâmica nova em relação ao passado, com as estruturas distritais, e aproveitou a deixa para pedir o mesmo noutras áreas da administração pública. “Muito mais há a fazer nessa área, porque estamos, nomeadamente o Oeste, muito espartilhados naquilo que são as competências das diversas áreas de atuação e responsabilidade, como por exemplo as CCDR, cuja reforma é urgente”, alertou.
O presidente da Câmara das Caldas registou com apreço a ligação da Proteção Civil nacional com a local. “Também temos feito um investimento significativo naquilo que é a nossa Proteção Civil, quer em meios humanos, quer em meios técnicos, para dar a melhor resposta às necessidades da nossa população”, disse, incluindo na equação os bombeiros. ■