Mais de 150 pessoas caminharam contra o cancro

0
262
Objetivo era angariar fundos para a investigação

Foram angariados 3900 euros que serão destinados à investigação. Caminhada decorreu no Parque e na Mata

Na manhã de sábado, 18 de maio, cerca de 150 pessoas juntaram-se para caminhar contra o cancro. Esta foi uma iniciativa do recém constituído Grupo de Apoio à Liga Contra o Cancro das Caldas da Rainha.
A partida foi do Céu de Vidro e o percurso passava pelo Parque D. Carlos I e pela Mata Rainha D. Leonor, antes de terminar no local da partida, onde havia um piquenique pronto para os participantes.
A caminhada durou pouco mais de uma hora e teve como madrinhas a cantora Rebeca e a fundadora do projeto Olha-Te, Célia Antunes, duas caldenses que superaram o cancro.
A coordenadora local do grupo, Teresa Xavier, fez um balanço positivo desta primeira edição e explicou que falta fazer o encontro das agendas do presidente da Liga Contra o Cancro e do presidente do município para a assinatura do protocolo que permitirá inaugurar a sede, que funciona num edifício cedido pela Câmara e que já está pronta. A partir daí começam a trabalhar, prestando todo o auxílio a doentes oncológicos, desde o apoio psicológico, ocupações de tempos livres, fisioterapia, apoio jurídico e social, entre outros.
Na maioria dos eventos da Liga, os fundos angariados nos eventos destinam-se ao orçamento geral (que suporta os apoios que prestam), mas este em particular destina-se exclusivamente para o apoio às bolsas de investigação.
O caldense Jorge Trindade elogiou a iniciativa. “Tem que se fazer estas iniciativas para juntar a população em torno de algumas causas importantes”, afirmou, acrescentando que “o percurso é fantástico e permite aproveitar o nosso parque e a nossa mata, desfrutar destes espaços maravilhosos que temos. Espero que continuem com estas iniciativas na nossa cidade, para ajudarmos estas causas que esperamos não necessitar”.
Já Alvaro Coelho, que é de Lisboa, mas vive nas Caldas há dois anos, é um dos membros da Liga nas Caldas, mas também participou na caminhada. “Faço voluntariado hospitalar no IPO, em Lisboa e estou a abraçar esta causa também aqui nas Caldas”, disse. ■