Misericórdia de Óbidos edita 11º volume das atas

0
648
A equipa que garante a concretização das obras que imortalizam a identidade da instituição, que é uma das mais antigas do país | Fátima Ferreira

As obras, que são um documento de estudo, descrevem o quotidiano daquela instituição, desde 1546 até 1905

Foi através das atas das mesas da Misericórdia que foi possível saber que a freguesia de A-dos-Negros é muito mais antiga do que os próprios órgãos autárquicos pensavam ou que fosse reconhecido o direito de propriedade da Capela de S. João, que nos últimos anos era pertença da Igreja.
Embora a data de fundação desta Misericórdia aponte para 1511, há registos das atas desde 1546 e são esses documentos que têm sido transcritos pelo historiador Ricardo Pereira e depois publicados em livro. No caso concreto deste volume, o 11º, as transcrições dão a conhecer o “estado financeiro débil e de difícil gestão” que a instituição então vivia. Contudo, de acordo com Ricardo Pereira, a partir de 1902 a mesa administrativa conseguiu “estabelecer um equilíbrio orçamental nas suas contas” e foi mesmo proposto um voto de louvor ao então provedor, Virgínio Pereira, pelo “zelo e atividade na boa administração”.

“Com a publicação dos livros, tem vindo a ser disponibilizado um manancial de informação aproveitado, sobretudo, por historiadores e investigadores”
Carlos Orlando

“Esta instituição tem das atas mais antigas do país, do século XVI ” Ricardo Pereira

O historiador destaca que esta Misericórdia tem das atas de sessões mais antigas do país, do século XVI, pelo que preferiram, a cada ano, dar um pequeno contributo à história e não condensar tudo num livro. O próximo, a publicar para o ano, deverá abarcar até 1914.
Para este trabalho, conta com a colaboração do provedor, Carlos Orlando, assim como do tesoureiro da mesa e mesário responsável pela parte cultural da Misericórdia, José Duarte, e do designer gráfico Joaquim António Silva, que garante uma uniformidade em toda a coleção.
Com a publicação dos livros tem vindo a ser “disponibilizado um manancial de informação, que é aproveitado, sobretudo por historiadores e investigadores”. Uma das últimas consultas foi para elaborar um artigo que se chama “Vestir os nús da Misericordia de Óbidos e a proteção aos pobres no reinado de D. João V”, da autoria da investigadora e docente universitária Isabel Drummond Braga.
A Santa Casa da Misericórdia de Óbidos está a reformular a sua página na internet e os livros irão estar disponíveis, em PDF. Nas últimas edições, a mesa da Misericórdia tem recuperado uma peça que esteja integrada no livro transcrito. Neste caso foi o restauro de três imagens de roca (N. Sra da Soledade, S. João Batista e Santa Maria Madalena), do século XVIII.
Em estudo está a transcrição de documentos de receitas e despesas que permite dar a conhecer pormenores que não aparecem nas atas, como a encomenda de um quadro ou de uma escultura.


Livros

 

Catálogo das mesas admnistrativas desde 1546 a 2017
Reúne o nome de todas as pessoas que passaram pela instituição nos seus cargos dirigentes.
Já vai na segunda edição

 

Guia do Arquivo Histórico da Santa Casa da Misericórdia
Registo de todos os documentos que a instituição tem no seu arquivo, devidamente ordenados e catalogados. Mostra também alguns dos documentos mais antigos, como um alvará régio de D. João III ou o breve papal, de 1551.
Vai na segunda edição

Livro Acórdãos e Eleições da Confraria da Santa Casa da Misericórdia da Vila de Óbidos
(11 volumes publicados)
Fazem uma descrição do quotidiano da Misericórdia e, por arrasto, do também do próprio concelho

Testamento do Beneficiado Faustino das Neves
Faustino das Neves (1615 – 1689), natural de A-da-Gorda e que foi retratado pela pintora Josefa d’Óbidos, exerceu vários cargos na Misericórdia, tendo sido, inclusivamente, provedor. Ocupou posição de relevo na sociedade seiscentista obidense, possuindo um considerável património, legou a diversas instituições e particulares
(publicado no âmbito do 2º Simpósio de História e Arte na Misericórdia)