Municípios do Oeste vão reduzir 3,4 milhões de euros por ano na factura energética

0
269

O projecto Oeste Led, que prevê a substituição dos sistemas de iluminação pública nos 12 municípios da região, já está em execução e prevê a redução de 3,4 milhões de euros, por ano, na factura energética. As luminárias começaram a ser substituídas em Maio e a primeira fase deverá estar concluída no final do ano, com a colocação de 68.500 pontos de luz, cerca de metade do total.
Com um investimento de 12 milhões de euros, este projecto permite evitar a emissão de 12 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) para a atmosfera.

Os municípios do Oeste estão a investir 12 milhões de euros para substituir, até ao final do ano, 68.500 luminárias por outras mais eficientes, a LED. A previsão é de uma poupança anual de 3,4 milhões de euros na factura energética visto que a factura da luz pública passará dos 4,7 milhões para os 1,3 milhões de euros. E tudo isto substituindo apenas metade do parque de luminárias públicas do Oeste porque o resto ficará para uma segunda fase.
O projecto OesteLED, que foi apresentado no passado dia 6 de Junho, começou a ser implementado no Bombarral, Lourinhã e Sobral de Monte Agraço e deverá estar concluído até ao final do ano.
Em Julho serão colocadas novas luminárias nos municípios de Alenquer, Cadaval e Caldas da Rainha. No mês seguinte será a vez de Alcobaça e, em Setembro, Arruda dos Vinhos e Torres Vedras até que o projecto fique completo com a expansão do LED a todos os concelhos.
A intervenção está a ser feita em parceria com uma empresa de serviços energéticos (ESE), através do consórcio Claroeste, ao qual os municípios irão pagar, durante 12 anos de contrato, 40% da poupança alcançada.
A fase seguinte vai ser discutida na comunidade intermunicipal para uma possível candidatura ao programa de apoios Portugal 2030. Para além dos avanços tecnológicos, deverá incorporar inteligência artificial que permita monitorizar aspectos como as alterações climáticas, o volume de tráfego rodoviário, ou a videovigilância em contexto de via pública.
Para além da iluminação pública, a comunidade intermunicipal está a trabalhar na substituição dos carros a combustível por veículos elétricos.
“No final do ano teremos uma região mais sustentável, que cumpre os desígnios do pacto dos autarcas, que tem por objectivos a descarbonização e redução da pegada carbónica”, sintetizou o presidente da OesteCIM, Pedro Folgado. O responsável diz mesmo que este é um projecto estruturante para a região, tendo em conta o custo da iluminação pública.

Entre os dez maiores projectos do mundo

Este projecto inovador coloca o Oeste entre os 10 com maior dimensão mundial. Na lista, liderada por Hyderabad (Índia), com a instalação de 450 mil luminárias LED, a única cidade europeia presente é Madrid, com um projecto de 84 mil lâmpadas eficientes do ponto de vista energético.
Em segundo lugar neste lista mundial de projectos de iluminação pública aparece Los Angeles, nos EUA, com a instalação de 140 mil luminárias. Segue-se Buenos Aires, na Argentina, com 91 mil lâmpadas a LED, e Jacarta, na Indonésia, com 90 mil luminárias.
Madrid aparece em quinto lugar, seguindo-se Delhi, na Índia, com 75 mil luminárias e, em sétimo lugar está o Oeste, com a instalação de 68.500 lâmpadas nos 12 municípios.
A lista integra ainda mais três projectos americanos: Las Vegas (42 mil luminárias) e as cidades texanas de Austin (35 mil) e San António (20 mil).