Nas Caldas mais de 5800 pessoas vivem sozinhas

0
390
Onze por cento da população do concelho reside sozinha. Foz do Arelho é a freguesia com maior percentagem
Os dados dos últimos Censos (2021) revelavam uma realidade: um total de 5817 pessoas viviam sozinhas no concelho das Caldas. Trata-se de 11% da população residente e se, por um lado, reflete uma forma de estar atual, em termos sociais, por outro, é também um indicador a ter em conta quando a população é cada vez mais envelhecida.
Em termos absolutos é na União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório que mais pessoas residem sozinhas, são 2352, o que em termos percentuais corresponde a 13% da população. Trata-se da mesma percentagem que se regista na União de Freguesias de Santo Onofre e Serra do Bouro (aqui correspondentes a 1508 pessoas).
Mas é, em termos percentuais, na Foz do Arelho, que mais pessoas vivem sozinhas. São 227, que correspondem a um total de 16%, um valor que é o dobro das freguesias onde menos gente reside sozinha.
Nas freguesias de Santa Catarina, Vidais, Landal e Nadadouro a taxa fixa-se nos 10% da população (com 261, 109, 94 e 194 pessoas a viverem sozinhas, respetivamente). Com 9% aparece Salir de Matos (222), Carvalhal Benfeito (103) e a União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto (397).
As freguesias com menos pessoas a residirem sozinhas, no concelho das Caldas, são as de A-dos-Francos e Alvorninha, onde apenas 8% da população vive sozinha. São 132 em A-dos-Francos e 218 em Alvorninha.
Os dados, que são referentes aos Censos de 2021 e que foram trabalhados e agora divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, permitem também perceber que a maior parte das pessoas que vivem sozinhas são do sexo feminino (cerca de 60% no concelho e também na região) e que, ao nível do Oeste, existem mais de 36 mil pessoas nesta condição. ■