O Dr. Mário Gonçalves foi homenageado pela cidade no Hospital Termal e no CCC

0
344
No CCC estiveram representantes das entidades onde Mário Gonçalves se destacou

Médico Mário Gonçalves, falecido em outubro de 2023, foi homenageado. Há uma sala e uma obra em cerâmica que agora lhe são dedicadas

Uma dezena de personalidades locais prestaram o seu testemunho sobre “o cirurgião e cidadão exemplar” conforme foi descrito ao longo da homenagem que decorreu, a 10 de maio, e que foi organizada por um grupo de cidadãos com o apoio da autarquia. A liderar o grupo esteve a psiquiatra Paula Carvalho que contou que a homenagem foi pensada durante os dois últimos dois meses. Conversaram também com várias entidades com quem Mário Gonçalves teve um papel relevante e “foi tudo fácil de coordenar”, referiu a organizadora, que destacou o apoio da autarquia à iniciativa cidadã.
O primeiro momento foi vivido no Hospital Termal com a inauguração da sala com o nome do médico caldense e que vai acolher atividades culturais.
A abertura foi feita pelo presidente da Câmara, Vítor Marques, restante elenco autárquico e pelo filho do caldense, Mário Fernando Gonçalves. “Este é um momento singelo e simbólico para celebrar uma vida que foi dedicada à saúde e ao centro hospitalar”, disse o edil caldense, após o descerramento da placa com o nome de Mário Gonçalves e que “será dinamizado com atividades ligadas à cultura e ao termalismo”. A sala abriu com exposição sobre a Revolução da autoria do major Telmo da Conceição que exerceu funções no quartel das Caldas.
Ao chegar ao foyer do CCC foi possível apreciar o painel de homenagem ao caldense, feito pelo ceramista Mário Reis. “Foi uma grande responsabilidade de retratar o Dr. Mário”, disse o autor que criou um retrato estilizado do homenageado, tendo alguns símbolos ligados à saúde e à cirurgia. No painel – que mede um metro por 70 cm de largo, pode ver-se a figura que segura um coração nas mãos pois ele “salvou várias”. Curioso é o facto de Mário Reis e a sua irmã terem sofrido de uma apendicite aguda que foi tratada pelo homenageado, no Montepio. “O dr. lembrava-se do caso pois fomos operados com dois ou três dias de diferença, algo menos vulgar”, rematou o artista. A sessão prosseguiu no grande auditório do CCC com uma série de intervenções. A moderação esteve a cargo de Paula Carvalho e participaram Pedro Carvalho (diretor clínico da Unidade Local de Saúde), Agostinho Brandão (Conselho da Cidade), Artur Fernandes (Liga dos Amigos do Museu Malhoa), António Curado (Sub-Região de Saúde do Oeste da Ordem dos Médicos), Lalanda Ribeiro (Assembleia Municipal), Isabel Xavier (Património Histórico), Margarida Brito e Melo (médica especialista em Cirurgia Geral), o filho Mário Fernando Gonçal e o edil caldense, Vítor Marques. Margarida Araújo (Grupo de Amigos do Museu de Cerâmica), não pôde estar presente, mas o seu testemunho foi lido pela anfitriã, Paula Carvalho.
Também atuou o Coral das Caldas, dirigido pelo maestro Joaquim António Silva e, por fim, houve um beberete que incluiu a apresentação do Livro de Honra. ■