O ponto de equilíbrio entre o doente, a clínica e a tecnologia

0
432
Os responsáveis do serviço de Pediatria dos hospitais de Leiria e das Caldas (CHO), Bilhota Xavier e Luísa Preto
O regresso às bases, com o doente no foco da atenção dos profissionais de saúde numa época onde imperam as tecnologias, foi o tema das XXVI Jornadas de Pediatria de Leiria e Caldas da Rainha, que decorreram no CCC nos dias 9, 10 e 11 de Outubro. Cerca de 250 pessoas, na esmagadora maioria profissionais de saúde, assistiram ao encontro que contou com a presença de especialistas e incluiu a realização de cursos práticos.

 

Os especialistas debateram durante dois dias problemáticas e novas abordagens à pediatria

O doente, a criança, a sua história, o estetoscópio, o martelo de reflexos e os exames básicos estiveram no centro da abordagem das Jornadas de Pediatria, que este ano decorreram nas Caldas da Rainha. “Back to basics”, ou voltar ao básico, foi o tema deste encontro que quis destacar estas práticas num mundo de tecnologia. Também a relação médico-doente “poderá estar hoje a perder-se entre os milhares de cliques que nos são exigidos, atrás de um computador que mal nos deixa olhar o doente nos olhos”, disse Luísa Preto, directora do Serviço de Pediatria, durante a cerimónia de inauguração. De acordo com a pediatra, é necessário encontrar o ponto de equilíbrio entre o doente, a clínica e a tecnologia.
Lembrando que estão a falar de pediatria, em que os doentes são bebés, crianças e jovens, e há exames que, além de dispendiosos, são invasivos. “Não podemos generalizar esses exames para toda a gente, pois muitos precisam apenas da prática clínica”, disse, defendendo que é preciso priorizar a história clinica e observação do doente e, quando necessário, fazer então alguns exames.
Temas base da avaliação pediátrica foram abordados de uma perspetiva original, com especialistas a falar em sessões com designações como “Vamos usar o martelo de reflexos”, “Para te ver melhor”, “Borbulhas e comichões” ou “É só uma picadinha!”.
Durante o evento foram ainda premiadas as melhores comunicações livres. Este ano foram distinguidas duas médicas internas do Hospital das Caldas: Zulmira Abdula e Jacinta Mendes, com o primeiro prémio e menção honrosa, respectivamente. Em segundo lugar ficou Ana Carina Henriques, do Centro Hospitalar de Leiria.
Luísa Preto justifica a grande afluência de participantes com a necessidade de actualização profissional e pela temática, que atraiu internos de especialidade, mas também médicos de medicina geral e familiar.

Ecógrafo para a nova urgência

No dia 9 de Outubro realizaram-se dois cursos, um teórico-prático em Fluidoterapia Endovenosa e Emergências Eletrolíticas, e outro de ecografia abdominal, que contaram com perto de 70 participantes. Luísa Preto explica que actualmente o hospital caldense não tem um serviço com resposta adequada ao nível da radiologia e que, com as novas obras da Urgência, gostariam de ter um ecógrafo para conseguir detectar algumas situações através da ecografia. “Os profissionais já têm alguma formação, agora falta o ecógrafo, que está programado para a nova urgência”, resumiu.
O serviço de Pediatria do hospital caldense é visto como uma referência na região. O segredo para este sucesso está, na opinião da sua directora, no trabalho de equipa e na simbiose existente entre os profissionais mais velhos e os mais novos. As vagas que abrem para este serviço são todas preenchidas e, “de tal forma que não conseguimos colocar os nossos internos, com grande pena nossa, porque vêm pessoas de fora que por vezes têm melhor nota”, explicou a responsável.
Ainda assim os profissionais não são suficientes. Neste momento são 14 (embora dois estejam fora do hospital a fazer um ciclo de estudos especiais em neonatologia) e metade deles já não tem idade para fazer Urgência, mas continuam todos a assegurar esse serviço. De acordo com Luísa Preto o serviço de Pediatria necessitava de 20 profissionais.
Organizadas este ano pela Associação de Saúde Infantil de Caldas da Rainha, a sua realização é alternada entre esta cidade e a de Leiria, onde no próximo ano terão continuidade.