Obras de modernização da Linha do Oeste estão paradas

0
268
A suspensão dos trabalhos é visível ao longo do troço entre Meleças e Torres Vedras

A intervenção entre Meleças e Torres Vedras está suspensa e os equipamentos e máquinas foram retirados

As obras de modernização e electrificação do troço da Linha do Oeste, entre Meleças e Torres Vedras, estão paradas, tendo sido retirados os equipamentos e máquinas que estavam junto das obras em curso.
A Gazeta das Caldas tentou obter informações junto das Infraestruturas de Portugal e do Ministério das Infraestruturas mas não obteve respostas até ao fecho desta edição.
Entretanto, a Comissão Para a Defesa da Linha do Oeste (CPDLO) já reagiu, considerando “inaceitável” que as obras em curso estejam paradas, por “decisão do consórcio responsável pela execução do projeto, independentemente das suas razões, provocando com isto novo adiamento para a conclusão, neste processo que já por si tem um atraso superior a dois anos”. Reclama que a paralisação das obras neste troço, a que soma o atraso relativo ao lançamento da obra do troço entre Torres Vedras e Caldas da Rainha e a divisão do processo de modernização e electrificação da Linha do Oeste em duas fases distintas(a sul e a norte das Caldas da Rainha), “poderão ter uma diferença de conclusão superior a cinco anos”. Este atraso revela, de acordo com a comissão, “a ausência de empenho político dos responsáveis ministeriais em fazer deste eixo ferroviário um importante vector de desenvolvimento económico e social da região do Oeste”.
Os atrasos na execução do projeto impedem também que fiquem, mais rapidamente, reunidas as condições para uma melhor oferta do transporte público ferroviário, nas ligações regionais e interregionais. A Comissão Para a Defesa da Linha do Oeste considera que “se impõe a imediata reposição dos trabalhos no troço entre Meleças e Torres Vedras e que a obra entre Torres Vedras e Caldas da Rainha seja lançada” tendo já solicitado ao ministro das Infraestruturas e Habitação uma reunião com carácter de urgência para reclamar a sua intervenção na resolução do problema.
Também a CDU/Alcobaça está preocupada com a suspensão das obras de modernização da Linha do Oeste até às Caldas da Rainha. A coligação defende também que as alterações que estão a ser apresentadas para as passagens de nível da Linha do Oeste no concelho de Alcobaça deviam ser discutidas com as populações respectivas, informando sobre as soluções que se estudam para a modernização e electrificação do troço de Caldas ao Louriçal.
De recordar que, em setembro do ano passado, quando esteve nas Caldas numa iniciativa de campanha eleitoral, o ministro Pedro Nuno Santos, disse à Gazeta das Caldas, que o início da empreitada (entre Torres Vedras e Caldas da Rainha) teria lugar, o mais tardar em janeiro de 2022.