Ocorrências Policiais

0
405

Uma idosa de 91 anos foi encontrada, a 5 de Janeiro, na sua casa em Cabeça Alta, na freguesia de Carvalhal Benfeito, com vários ferimentos graves que terão sido provocados por alguém que lhe roubou uma carteira com o dinheiro da reforma.
Esmeralda Penteado mora sozinha naquele lugar do concelho das Caldas, mas os seus filhos têm casas perto e foi um deles que encontrou a mãe, na casa-de-banho, cheia de sangue à volta.
A presidente da Junta de Carvalhal Benfeito, Maria João Querido, ia a passar junto do local na altura em que a GNR já lá estava e ficou muito preocupada com a situação. “É um caso que vem alertar para o isolamento nas aldeias. Com a desertificação e o aumento da criminalidade, isso assusta-nos a todos”, referiu, embora saliente que este foi o primeiro assalto violento de que tem memória na freguesia.
Segundo a autarca, nessa manhã os filhos tinham passado pela casa da mãe e estava tudo normal. À tarde, um dos filhos foi visitá-la, mas Esmeralda Penteado não respondeu à chamada e tinha a porta fechada.
O filho ainda tentou procurá-la, mas como a mãe nem sequer estava na casa do irmão, acabou por usar a sua chave suplente para entrar na casa. “Quando entrou ouviu a senhora a gemer na casa-de-banho. Ela estava ferida, com um corte numa orelha e a cara amachucada, com bastante sangue à volta dela e uma faca partida na banheira”, contou Maria João Querido.
A idosa terá dito ao filho na altura em que seguiu para o hospital que não queria estar mais naquela casa “porque foi lá um homem que quis agredir”, contou a autarca.
A vítima foi transportada para o hospital das Caldas, mas devido à gravidade dos ferimentos teve que seguir para o hospital de Santa Maria, de onde já voltou. “Neste caso a preocupação que os filhos tinham com a mãe salvaram-lhe a vida, porque se não estivessem tão presentes a situação poderia ter sido pior”, comentou Maria João Querido.
Nesse mesmo dia, durante a manhã, uma casa foi assaltada nas Caldas da Rainha. Do interior da residência foram furtados uma pulseira e um fio de ouro. A proprietária avaliou o furto em cerca de 4000 euros.
Uma casa foi assaltada no Nadadouro a 3 de Janeiro. No dia seguinte assaltaram um armazém em Óbidos, um estabelecimento comercial no Carvalhal e uma casa na Boavista (Bombarral).
No dia 5 de Janeiro a GNR recebeu uma queixa pelo furto de um veículo nas Caldas, de cabo de cobre na Mata de Porto Mouro, de gasóleo na zona industrial caldense e de fio de cobre e armário de distribuição da EDP no Campo. Em Vale do Coto foi assaltada uma casa.
A 6 de Janeiro assaltaram um café em A-dos-Negros, duas residências no Bombarral e uma casa no Campo.
A GNR de Óbidos deteve em A-da-Gorda dois indivíduos, de 24 e 43 anos, que seguiam numa viatura roubada e transportavam vários bidons que a Guarda desconfia serem utilizados para o furto de combustível. Nas Caldas a PSP recuperou um carro que tinha sido furtado nessa mesma noite.
No dia 7 de Janeiro continuou a vaga de furtos a casas no Nadadouro, que tem como principal alvo o roubo de LCDs, tendo sido assaltada mais uma residência. No Nadadouro também assaltaram uma casa nesse dia. No dia seguinte houve um assalto a uma casa nos Vidais.
A PSP de Alcobaça recebeu no dia 8 de Janeiro a queixa pelo furto de um automóvel naquela cidade.
Uma jovem de 20 anos foi detida pela GNR do Bombarral, no dia 10 por furto de artigos de beleza num supermercado naquela localidade.
Um carro que tinha sido furtado, entre o dia 8 e o dia 10, foi recuperado na passada segunda-feira pela PSP das Caldas.

Azulejos furtados no museu da Cerâmica

Seis azulejos, considerados como obra de arte, foram roubados de uma floreira exterior do jardim do museu da Cerâmica. Segundo informação da PSP, o furto terá ocorrido entre as 16 e as 17h45 do dia 4 de Janeiro. Os azulejos furtados foram avaliados em 4500 euros. O caso está a ser investigado pela polícia.

Mulheres detidas por conduzir com excesso de álcool

Em Vale Maceira, no dia 3, a GNR deteve uma mulher de 51 anos que conduzia com uma taxa de alcoolémia de 2,16 gr/l. No dia seguinte um homem de 25 anos foi detido na mesma localidade por conduzir uma mota sem ter carta.
Dois cidadãos ucranianos, de 30 e 36 anos, foram detidos pela GNR de São Martinho, no dia 4, por estarem em situação ilegal em Portugal.
No dia 5 de Janeiro um homem de 52 anos foi detido na Benedita por conduzir sem carta. No mesmo dia a GNR deteve um indivíduo em Casais de São Jacinto com 1,38 gr/l. No bairro da Senhora da Luz foi detido um jovem de 23 anos por condução ilegal.
Um indivíduo de 23 anos, residente nas Caldas, foi detido pela GNR da Nazaré por condução sem carta. A Guarda viria a descobrir mais tarde que o veículo que este conduzia tinha sido furtado momentos antes. Segundo a autoridade, o homem é reincidente em ambos os crimes.
Numa operação stop no dia 6, a GNR das Caldas fiscalizou 221 viaturas, tendo levantado 22 autos, um deles por condução sob o efeito do álcool (0,89 gr/l).
Nessa madrugada a polícia das Caldas deteve um indivíduo de 31 anos por condução ilegal de um veículo.
Na Nazaré, no dia 7, uma mulher de 52 anos foi detida pela GNR por conduzir com 1,61 gr/l. No mesmo dia outra mulher, de 52 anos, foi detida no Taveiro (Benedita) com 1,26 gr/. No dia 8 de Janeiro a Guarda deteve um indivíduo no Campo por conduzir um veículo apreendido. Nas Caldas, a PSP deteve um condutor de 48 anos que se recusou a fazer o teste de álcool. Em Peniche foi detido um jovem de 20 anos que conduzia um ligeiro de mercadorias sem ter carta.
De 3 a 10 de Janeiro a GNR das Caldas da Rainha registou na área do seu destacamento territorial um total de 25 acidentes, dos quais resultaram 11 feridos ligeiros.

Meixão devolvido aos rios

A captura do meixão está proibida por lei e por isso, quando capturado, é devolvido ao rio

Três indivíduos que alegadamente se dedicavam à pesca ilegal de enguia bebé (meixão) na foz do rio Alcoa, em Ponte da Barca, na Nazaré, foram identificados pela unidade de controlo costeiro da GNR no dia 5 de Janeiro.
Como é uma prática de pesca proibida por lei, os instrumentos utilizados foram de imediato destruídos. O meio quilo de meixão que tinha sido capturado (no valor de 250 euros) foi também devolvido ao rio de imediato.
No dia 7 de Janeiro a GNR também devolveu ao rio cerca de meio quilo de meixão vivo que tinha sido capturado em Salir do Porto. No âmbito da fiscalização realizada na foz do rio de Tornada, a Guarda apreendeu ainda o material utilizado para a captura e levantou seis autos pela captura ilegal.

Pedro Antunes
[email protected]