Os Nacionais de Remo de 1947 na Lagoa de Óbidos

0
182

Há mais de 75 anos, a Lagoa de Óbidos recebeu os Campeonatos Nacionais de Remo, numa pista criada para o efeito

Em junho de 1947, no pós segunda grande guerra, num Portugal preso pela ditadura, a Lagoa de Óbidos recebeu os Campeonatos Nacionais de Remo, numa prova que, além da vertente desportiva, foi um momento de atração turística para as Caldas e para a região. Tal fica patente nas notícias publicadas sobre o evento, mas também na preparação do mesmo. É que na Lagoa tudo foi preparado: no espelho de água uma pista criada para o efeito e nas margens, bancadas e locais para visualização da prova e outras instalações de apoio, bem como toda a logística. A comunicação dos nacionais foi outra vertente altamente trabalhada pela organização, como o comprovam documentos reunidos por Mário Lino, do Museu de Ciclismo, que recentemente, se interessou pelo tema, depois de esbarrar nele pelo… cinema. É que nesta unidade museológica tem havido nos últimos anos uma aposta forte na área da sétima arte e, num panfleto que anunciava a exibição da “Estrela do Rio” no teatro riomaiorense, encontrou, ao fundo, depois das informações do filme, um anúncio ao campeonato. “Através do cinema chegamos a outras áreas da cultura e do desporto, por exemplo”, afirma.
Encontrou depois vários documentos, entre os quais o livro da prova e recortes, como o da revista Stadium que publicamos e outros do jornal “O Progresso”. Guarda ainda a promoção feita da prova pela Comissão de Turismo.
A prova trouxe à Lagoa de Óbidos 200 remadores de clubes de todo o país, como os Galitos de Aveiro, o Náutico de Viana, o Grupo Desportivo da CP, o Estoril-Praia, os Ferroviários do Barreiro, o Sporting Clube Caminhense, o Grupo Desportivo da CUF, o Ginásio Figueirense, o Sport Club do Porto, o Clube Naval de Lisboa, o Club Fluvial Portuense e as Associações Navais de Lisboa e 1º de Maio. No primeiro dia, 13 de junho, houve 6 regatas e no segundo nove. Na imprensa salienta-se “o aproveitamento das excelentes capacidades náuticas do local” e elogia-se a “magnífica pista de remo”. Testemunha-se ainda que ”nesta última semana têm redobrado de intensidade os trabalhos da nova estrada, que conduzirá o público ao local das provas, das hangares para as embarcações e das bancadas, de modo que tudo esteja em ordem no dia de hoje”.
“Os benefícios materiais que esta realização contempla para as Caldas não têm que ser aqui encarecidos. O comércio, indústria da hospedagem e transportes, os simples particulares que os enunciem, pois melhor que ninguém o podem fazer”, lê-se.
Na revista Stadium refere-se “milhares de pessoas de todos os pontos do país e especialmente das cercarias, assistiram à prova com o mais vivo interesse” e descreve-se a Lagoa como “um trecho deslumbrante da natureza, atraindo pela sua beleza e pelas condições que oferece para a prática do remo, pista magnífica!”, acrescentando que a “Foz do Arelho, na sua beleza e poesia, é também uma pista de remo digna de grandes competições”. Em relação às provas, o Sporting Clube Caminhense conquistou o título de outrigers de 4, seniores, enquanto o Grupo Desportivo da CUF se destacou no yolles de oito, juniores. ■