Os passadiços da Foz estão a ser recuperados

0
324
Os passadiços, de cerca de um quilómetro, permitem uma vista privilegiada sobre o oceano

A intervenção já começou e prevê a lavagem e tratamento das madeiras permitindo a sua preservação

Construídos há 15 anos, nas arribas junto ao Oceano Atlântico, os passadiços da Foz do Arelho estão, pela primeira vez, a ter uma intervenção para a sua preservação. Estão a ser “lavados e a levar tratamento para se manterem mais, pelo menos, uma década”, explicou o presidente da Junta da Foz do Arelho, Fernando Sousa. De acordo com o autarca, a obra está a ser executada pela Junta de Freguesia através da delegação de competencias da Câmara, com um valor de 35 mil euros, mas que devido ao estado de conservação em que se encontra o equipamento poderá chegar aos 50 mil euros. “O passadiço é muito procurado, é um atrativo da Foz e um local a preservar”, disse Fernando Sousa. Também a Praia dos Pequeninos, na Lagoa, está a ser alvo de intervenção, com a colocação de areia, e terá mais posto de praia, de modo a garantir mais condições de segurança aos banhistas.
No areal está a ser montada uma estrutura com campos de futebol de praia e bancadas, e mais dois para a prática de volei e ténis, e haverá contentores de vestiário, de modo a dar algum conforto aos praticantes. “Queremos promover a atividade informal, e também com as nossas associações e clubes”, justificou o presidente da Câmara, Vítor Marques.
Também as casas de banho vão passar a estar abertas todo o ano. Durante a época balnear terá um funcionário a fazer a sua manutenção e limpeza permanente e, nos restantes meses do ano, também estarão abertas, permitindo o acesso inclusive a pessoas de mobilidade reduzida.
O cais palafítico, que está a ser construído na freguesia do Nadadouro e que se previa estar concluído em finais de abril, ainda está em execução. “É uma obra que tem tido pequenas paragens”, reconheceu o presidente da Câmara, acrescentando que “houve um interregno, mas a informação que tenho é que já recomeçaram e não faltará muito para concluir”. A intervenção dará lugar a um novo cais, em madeira, com nove entradas e uma zona de passadiço. Estão ser desenvolvidos percursos entre o Nadadouro e Salir do Porto e também na zona de Alvorninha. Também a ligação entre Caldas e Óbidos, através da lagoa, não está esquecida, assegurou. As duas autarquias já estão a desenvolver, em conjunto, a candidatura da Lagoa a zona húmida Ramsar e, em abril, reuniram com o ministro do Ambiente. ■