Pavilhão da escola do Alvito fechado após queda de um pedaço de uma viga do tecto

0
1930
Alvito
O pavilhão do Complexo Escolar do Alvito fica interdito até estarem repostas as condições de segurança | DR

Uma secção da estrutura de madeira que suporta a cobertura do pavilhão do Complexo Escolar do Alvito (Óbidos) caiu na noite de 4 para 5 de Maio, dia em que os alunos do 2º ano iriam realizar uma prova de aferição de Educação Física. O incidente levou ao encerramento deste pavilhão daquele complexo escolar e ao do Furadouro, entretanto já reaberto.

O incidente aconteceu durante a noite de quinta para sexta-feira (4 para 5 de Maio), o que evitou que dele resultassem outros danos que não os materiais. A peça que caiu é uma pequena secção do conjunto que forma a viga que atravessa o pavilhão em latitude. Estas vigas, em forma de triângulo invertido, são compostas por vários segmentos de madeira colados uns aos outros e foi um dos pequenos segmentos que se descolou e caiu no solo, explicou o município questionado pela Gazeta das Caldas.
Na manhã do dia 5 de Maio o vereador Pedro Félix e os técnicos do município obidense deslocaram-se ao local antes da abertura do pavilhão. Por decisão do vereador, o acesso ao pavilhão foi vedado e o presidente Humberto Marques, por precaução, estendeu a medida ao pavilhão do Complexo Escolar do Furadouro até que se apurasse a razão do incidente, uma vez que as estruturas dos dois pavilhões são idênticas.
Entretanto, o pavilhão do Furadouro foi reaberto após a presença dos técnicos da empresa responsável pela obra e a vistoria realizada pelos técnicos do município. No Alvito, onde a vistoria estava ainda a decorrer no dia do fecho desta edição, “foi feita uma intervenção para garantir a segurança da viga que caiu parcialmente”, adiantou a Câmara de Óbidos através do gabinete de comunicação.
O município diz que a empresa construtora – cujo nome não revelou – vai apresentar um plano de intervenção para corrigir o problema e garantir que as restantes vigas do pavilhão estejam em condições.
Só quando existirem garantias técnicas em relação às condições de segurança é que o pavilhão do Alvito será reaberto, tanto à comunidade escolar como à comunidade em geral, “o que deverá acontecer muito em breve”, garante o município.
Os serviços jurídicos da Câmara estão a avaliar se a garantia de construção, que é de 10 anos, cobre o incidente. De qualquer modo, a reparação avançará com ou sem a garantia e os custos não serão avultados, acrescenta o município. Aquele complexo  foi inaugurado em Setembro de 2010.
Gazeta das Caldas contactou a direcção do Agrupamento de Escolas Josefa D’Óbidos, que não se quis pronunciar, remetendo as questões para o município.
Já os representantes dos pais daquela comunidade escolar revelaram satisfação pela rápida acção da Câmara de Óbidos, proprietária daquele equipamento. “Estávamos preocupados se não tivesse sido vedado o acesso ao pavilhão. Disseram-nos que só abre quando a segurança estiver garantida, após intervenção no espaço”, disse Lénia Lameiro, presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Complexo Escolar das Freguesias de Gaeiras e A-dos-Negros (APEECEFAG).
O pavilhão do Alvito foi inaugurado, em conjunto com o complexo escolar em que se insere, em Setembro de 2010. Na mesma altura o município de Óbidos também abriu o complexo escolar do Furadouro. As duas instalações tiveram um custo de quatro milhões de euros cada e seguiram a tendência arquitectónica do complexo escolar dos Arcos, inaugurado dois anos antes. Os projectos são da autoria do arquitecto argentino Cláudio Sat.
Os pavilhões desportivos servem a comunidade escolar e também abrem portas para usufruto das populações e das associações do concelho.