Peniche foi a capital mundial do surf

0
448
O evento atraiu milhares de pessoas e teve um nítido impacto económico, sobretudo na hotelaria e restauração da região

Durante uma semana Peniche foi a capital mundial com a realização do Rip Curl Pro Portugal, atraindo milhares de visitantes e esgotando a capacidade hoteleira do concelho e de parte da região.
A etapa do circuito mundial de surf, que decorreu de 7 a 18 de Outubro, juntou em Peniche os melhores surfistas, entre eles o mítico Kelly Slater que viria a ganhar a prova.

A vitória em Portugal poderá contribuir para que o norte-americano Kelly Slater, uma lenda do surf, possa ganhar o seu 10º título como campeão mundial, aos 38 anos de idade.
Segundo a imprensa nacional, Kelly Slater elogiou Peniche, desde a variedade de ondas até às pessoas, passando pelos restaurantes. “É um local excitante”, afirmou.
Certo é que durante estes dias todos os caminhos foram dar a Peniche e as redes sociais de muitos caldenses e oestinos foram “inundadas” com fotografias do evento.
O presidente da Câmara, António José Correia, salientou à Gazeta das Caldas que o impacto económico é muito significativo, não só do ponto de vista imediato, mas também para o futuro.
Para já, quem ganha mais é o sector hoteleiro e da restauração, mas também as escolas de surf. “As pessoas já conhecem os melhores locais e os próprios empresários têm apostado na sua promoção”, afirmou o autarca, que sublinhou que este evento é uma forma de combater a sazonalidade do turismo.
A Câmara também criou um espaço próprio, a tenda da capital da onda, ao qual aderiram  muitas pessoas.
A boa notícia é que já está garantida a presença da prova em Peniche para o próximo ano e António José Correia adianta que está garantida a presença da Rip Curl até 2014.
“Isto resulta da satisfação dos surfistas, patrocinadores e da organização”, concluiu o presidente da Câmara, que também começou este ano a dedicar-se à prática do surf. “Aconselho a toda a gente, para se abstraírem dos problemas”, disse.