Petrolette caldense vai em missão de paz

0
477
Susana Forte tem 53 anos e vai participar na sua primeira missão de paz com os Moto For Peace, que decorre de outubro a dezembro na América Latina

Susana Forte pertence às Petrolettes das Caldas da Rainha e será a primeira portuguesa e simultaneamente a primeira mulher a participar numa missão de paz dos Moto For Peace 

Há 38 anos que é motard, há três que pertence às Petrolettes das Caldas e há dois que se juntou aos Moto For Peace. Trata-se de uma associação sem fins lucrativos italiana formada por forças policiais europeias que realiza missões de paz, de mota, desde 2001, tendo já passado pela Europa, Médio Oriente, Ásia, África e América do Sul.
Aos 53 anos, Susana Forte, que vive na Ericeira e que conta que tem uma forte ligação às Caldas “desde miúda”, concretiza dois sonhos, de uma só vez: partir numa viagem sobre duas rodas superior a “dois ou três dias”, fora de Portugal e para outro continente, enquanto apoia causas humanitárias.
A viagem de 10.000 quilómetros por seis países da América Latina – Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Equador e Colômbia – tem início a 5 de outubro, com a duração de 60 dias, correspondendo à continuação da missão encerrada prematuramente na Bolívia, devido à pandemia. O percurso é criado pelas autoridades policiais locais em conjunto com a INTERPOL.
Para já, estão confirmadas seis motas, entre as quais a de outro português, da PSP, que também vai integrar o grupo pela primeira vez. Segue ainda um carro de apoio, referiu a motard, que teve uma loja de animais na cidade termal, entre 2004 e 2006, e que é CEO da Sharper Blade Portugal e especialista, premiada internacionalmente, em afiação de tesouras, nomeadamente, japonesas, tendo ainda sido bombeira.
A missão e as causas a apoiar são eleitas pelos Anonimi della Fede, uma organização ligada ao Vaticano, desde 2018. “São as pequenas causas, as que menos ajuda têm”, localizadas em áreas remotas e aldeias rurais, envolvendo a promoção da escolaridade e os serviços de saúde. Este apoio é financeiro, resultante da angariação que os Moto For Peace realizam entre missões, e é entregue em mãos.

A motard esteve em treino na Tunísia, em maio, para se preparar para o off road

Susana será a primeira pessoa de nacionalidade portuguesa e, simultaneamente, a primeira mulher a realizar uma missão de paz com o grupo, dando-se ainda o caso de ser a única que não pertence a uma força policial. O convite foi-lhe feito em 2022, por ocasião da viagem dos Moto For Peace a Santiago de Compostela, que envolveu uma passagem pelo Oeste. O caldense Rogério Coelho, um amigo de família, já havia feito a intermediação.
“Estive uma semana sem dormir só a pensar no convite, e decidi que tinha de ir, mesmo não sabendo como, porque é muito caro [cerca de 11.000 euros]”, contou, explicando que as despesas ficam totalmente a seu cargo e envolvem a revisão da mota, o contentor para transporte da mesma, entre outras. Por isso, Susana lança um apelo à comunidade para a ajudar a custear a viagem, que dedica ao pai, o comendador Libânio Forte, antigo presidente da Associação dos Portugueses na Grécia e conselheiro das Comunidades Portuguesas, atualmente com 92 anos. “Passou a vida fora do seu país a representar e a fazer o bem para Portugal, mas não é conhecido, e devo-lhe as raízes, os valores e a pessoa em que me tornei”, confessou.
Susana Forte já esteve a treinar para o exigente périplo, durante duas semanas, em maio, na Tunísia, com um grupo de off road, com vista a aprender a conduzir em estradas de areia como as que irá encontrar na América do Sul. Poderá acompanhar a sua viagem através da sua página de Youtube, Sharper Blade Portugal, e da página de Facebook Susana Menezes Forte, onde partilhará crónicas. ■