Praça Pública – Pode Rafael Bordalo Pinheiro ser uma das marcas da cidade das Caldas?

0
968
Noticias das Caldas
António Cascão, funcionário da Fábrica Bordalo Pinheiro (Caldas da Rainha) | I.V.

Acho que sim, ainda por cima porque trabalho na Fábrica Bordallo Pinheiro há 39 anos.
Poderiam organizar-se exposições para dar a conhecer mais peças ou aumentar a rota. Tenho pena que algumas peças tenham sido vandalizadas, como os cogumelos ou os caracóis…
Podiam também ser feitas exposições, conferências ou até um festival. Já foi muito bom as Caldas ter recebido o World Press Cartoon
Devem continuar a vir artistas e designers para reinterpretar as obras e fazer outras iniciativas como a que existe em relação à colecção das sardinhas. É um orgulho dar continuidade ao trabalho de Bordalo Pinheiro.

 

Noticias das Caldas
Suzel Teixeira, empresária (Óbidos) | I.V.

Acho que sim! A Casa Museu de Bordalo, na Fábrica, é lindíssima. Creio que poderia ser mais dinamizada, com workshops para as crianças. A minha neta aderia!
E também deviam convidar ceramistas que promovessem workshops e ateliers. Acho que estas e outras ideias podiam ganhar vida e realizar-se vários eventos na cidade.
Sempre que recebo visitas levo-as ao parque e vamos dar uma volta para eles conhecerem a Rota Bordaliana.
Como temos a ESAD poderíamos facilmente fazer a ligação entre o artista e a escola.

 

Noticias das Caldas
Júlio Amiguinho, comercial (Caldas da Rainha) | I. V.

Acho que deve ser uma marca e que já é.
Nunca estudei Rafael Bordallo Pinheiro aprofundadamente, mas é um génio e acho que poderia ser um chamariz para a cidade.
Isto apesar da nossa cultura, que não preservamos o que temos, como os azulejos. Devia haver uma política de maior protecção e aí falhamos um pouco.
Acho que um grande festival, que atraia pessoas e que possa dar a conhecer a obra aos mais novos era positivo.
I.V./N.N.