Praças do Peixe de Cascais e de Setúbal

0
484
O Mercado de Cascais foi inaugurado em agosto de 1952 e é um ponto de referência para a realização de vários eventos

Ambas funcionam dentro de mercados da fruta e legumes, fechados , em concelhos com portos de mar. Conheça um pouco melhor as praças do peixe de Setúbal e Cascais e as suas dinâmicas

Funcionam praças do peixe dentro de dois mercados da fruta e dos vegetais, fechado num dos casos e semi-aberto, no outro, situadas em dois concelhos com portos de mar e de pesca, e que são bons exemplos de dinâmicas locais de animação e atividade económica.

Falamos das praças do peixe de Setúbal e Cascais, ambas situadas no respetivo centro urbano, que simultaneamente são dois polos turísticos e populacionais importantes, com um grande dinamismo económico, dada a vida empresarial que perpassa por ambas as regiões. Ainda para mais situam-se dentro do que se chama a Grande Lisboa.
De qualquer maneira, e mesmo atendendo as distâncias da importância que cada uma delas tem, certamente seria interessante perscrutar aquilo em que consistem os pontos fortes e as oportunidades exploradas, bem como, também, verificar quais são os pontos fracos e as ameaças que também ali contam. Tal como, nas outras localidades, também ali existem super e hipermercados, com ofertas alternativas convidativas e que cativam outra parte dos clientes.
Em Setúbal, falamos do Mercado do Livramento, construído para substituir outro demolido em 1876, e que viria a ser inaugurado em 1930. Nele destacam-se grandes painéis de azulejo, de autoria do pintor Pedro Pinto, a que se acrescentaram outros em 1944, com imagens da cidade. Em 2010 foram feitas obras de requalificação, a que se acrescentarem grandes figuras escultórias concebidas pela caricaturista Augusto Cid e realizadas nas Caldas pelo modelador cerâmico José Carlos.
Em junho de 2014 a revista americana USA Today considerou aquele mercado com um dos melhores de todo o mundo, ao nível de mercados como o Tóquio, Seattle ou Brooklyn. A parte dedicada ao peixe é grande com várias dezenas de vendedores de peixe fresco e de mariscos, pescados na noite e madrugada anterior e descarregados no porto ao lado. Os restaurantes que servem o peixe, moluscos e mariscos, do mercado abundam nas avenidas e ruas em redor do mercado.
O Mercado de Cascais, com uma particularidade forte, pois tem amplo estacionamento em redor. Tem uma animação muito grande ao longo do ano, fortemente ancorada na programação turística da vila de Cascais, constituindo uma aposta estratégica do concelho para atrair especialmente o turismo estrangeiro. O mercado que hoje existe foi inaugurado em agosto de 1952, com uma arquitetura da época, bastante sugestiva, sob o desenho do arquiteto Alberto Cruz. Na fachada exterior existe um enorme painel de azulejos, concebido por Teresa Posser de Andrade em 2008, que recorda a Cascais antiga.
Presentemente é um ponto de referência para a realização de inúmeros eventos ao longo do ano, como mercados temáticos, nomeadamente a Feira do Levante, o Mercado Saloio, o Biológico, o Mercado D`Avila (gastronomia, com vintage, artwork, bijuteria e antiguidades).
A praça do peixe tem cerca de duas dezenas de bancas de vendedores muitos vistosas e tem, ao lado, um grande e bom restaurante, baseados nos produtos piscícolas, com uma esplanada grande sobre o mercado da fruta, onde se podem degustar as especialidades à venda no mercado. No espaço da praça existem outros restaurantes e bares com oferta mais modesta nos preços.
Aqui estão dois mercados onde se podem beber ideias consistentes e bem atuais.■
No Mercado de Setúbal, a parte dedicada ao peixe tem dezenas de vendedores