RECTIFICAÇÃO | Qualidade da água da torneira no Oeste está acima da média nacional

0
611

O presidente da Câmara Municipal do Cadaval, José Bernardo Nunes em resposta ao artigo “Qualidade da água da torneira no Oeste está acima da média nacional” de 16 de Setembro, escreveu à Gazeta das Caldas pondo em causa a afirmação de que “os concelhos onde a água é mais cara são: Cadaval (2,22 ou 3,05 euros), Lourinhã (2,30 euros) e Torres Vedras (2,69 euros)”.
Afirma José Bernardo Nunes que “as ilações feitas no referido trecho de notícia são erróneas porquanto utilizam critérios ou ordens de grandeza diferentes, nomeadamente comparando escalões de tarifas diversos e, como tal, incomparáveis”.
A peça refere-se ao escalão entre os 15 e os 25 m3. O Cadaval é o único dos concelhos analisados que divide os escalões de 5 em 5 metros cúbicos. Por essa razão, optou-se por, em relação a esse concelho, escolher o quarto e quinto escalões dado que estes se referem a 15 a 20m3 e acima de 20m3, respectivamente. Tal facto foi referido na ilustração anexa com os valores de cada município: nos dados do Cadaval aparecem dois valores com uma nota que refere precisamente o que está explicado em cima.
Refira-se ainda que no artigo não é referido, sobre nenhum dos concelhos, o valor da factura, mas sim o valor cobrado por metro cúbico. E o valor tabela por metro cúbico é o que está publicado no nosso jornal.
Feitas as contas ao metro cúbico de água, tem razão o presidente da Câmara no caso de se tratar do mínimo do escalão (um consumo de 15m3), onde de facto, o Cadaval não é das três mais caras, que são Lourinhã, Torres Vedras e Alenquer. Situa-se, nesse caso, em nono lugar. No entanto, um consumo que atinja o topo do escalão mencionado (de 25m3 de água, portanto), é no seu município, de facto, o terceiro mais caro.
Aos leitores e aos visados as nossas desculpas.