Semana Raul Proença reinventa-se para continuar a cativar alunos

0
508
O “Ovo Paraquedista” mobiliza os alunos da escola secundária. Todos querem saber quais as propostas que resistem

Terminou mais uma Semana Raul Proença com diferentes propostas para os estudantes do agrupamento

Na quarta-feira, 20 de março, um dos blocos da Secundária Raul Proença estava apinhado de alunos. O motivo é a atividade de físico-química, o ovo paraquedista em que os alunos são convidados a testar as leis da física. Os participantes têm que acomodar da melhor forma um ovo e ver se este consegue, após ser lançado do segundo andar, chegar sem se partir ao rés-do chão do bloco escolar. Os alunos dos vários anos letivos podem inscrever-se nesta atividade onde a parte estética também conta. Voaram ovos colocados em chapéus de chuva, acondicionados em balões, acomodados em estruturas metálicas, num sem fim de propostas que correspondeu às expetativas de uma plateia exigente, espalhada pelos vários pisos. A Semana Raul Proença aconteceu entre os dias 18 e 20 de março e, na quinta e sexta-feira seguintes, viveram-se os Dias Diferentes, ou seja, programaram-se atividades para todo o agrupamento, muitas fora das escolas. O resultado foi que “esgotamos o comboio para S. Martinho e algumas carreiras da Rodoviária”, contou João Silva o diretor do Agrupamento Raul Proença, acrescentando que houve palestras, provas de paint ball, limpezas de praia, atividades desportivas na ESE, passeios e atividades de lazer.
Na Semana Raul Proença decorreram também iniciativas de debater a segurança na internet (com Tito de Morais e Cristiane Miranda) ou as eleições da UE com alunos do 12º ano. Não faltaram demonstrações de robótica e atividades desportivas, coordenadas pelos professores e pela associação de estudantes. “É sempre uma oportunidade para os alunos mais velhos pensarem atividades para os mais novos”, referiu o docente.
No último dia da Semana Raul Proença, no polivalente da escola, dois cavaleiros do “Armis Nostrum” – Clube de Combate Medieval explicavam a uma plateia atenta como se preparavam para o combate na Idade Média. Só o capacete, por exemplo, pesava 12 quilos, referiu o responsável, mostrando a peça entre os estudantes para que pudessem sentir o peso.

Cavaleiros medievais deram a conhecer como se “armavam” para as batalhas

João Silva quis ainda salientar a realização do Raulinho, um peddy paper coordenado pela disciplina de Matemática e que acaba por envolver também outras disciplinas, “pois implica trabalho em equipa e resolução de problemas de várias áreas”. As atividades também se estendem professores e funcionários que também realizaram um peddy e rally paper para na Foz do Arelho, destinado a fomentar o espírito de grupo.
As Olimpíadas da História juntaram-se aos concursos de literatura que visam fomentar a escrita criativa dos estudantes e houve outros que preferiram investir nos dotes culinários e trouxeram iguarias francesas para todos provarem já que se assinalou também a Semana da Francofonia.
O diretor ainda explicou que a Semana Raul Proença “se tem vindo a reinventar ao longo dos anos” de modo a “continuar a cativar os alunos”. Para João Silva, o sucesso deste evento passa pelo facto de este ser descentralizado e proposto pelos diferentes departamentos disciplinares.
No próximo dia 11 de maio, a Secundária Raul Proença vai sair à rua para assinalar a Liberdade e os 50 anos do 25 de Abril com poesia declamada em vários pontos centrais da cidade. ■