Superheroes for Kids vão ao IPO

0
773
O grupo de super-heróis que leva sorrisos, brinquedos e esperança às crianças

Pandemia levou a encerramento do Ó Pit Stop, que transformou o antigo armazém da Refer na estação de S. Martinho do Porto. Super-heróis querem ir ao IPO, para as crianças os verem pelas janelas

Os Superheroes for Kids estão a tratar do licenciamento da ambulância americana Ford e das necessárias autorizações para irem ao IPO e à Fundação Ronald McDonalds (Lisboa), levar alegria às crianças internadas.
“Se não for possível entrar, devido às medidas de contenção da pandemia, pelo menos as crianças podem ver-nos pelas janelas”, explicou Pedro Machado, filho de emigrantes da região nos Estados Unidos da América, que fundou a associação sem fins lucrativos e que se começou a vestir de Capitão América para levar esperança aos hospitais.
A pandemia levou a atividade da associação, que transformou o antigo armazém da Refer na estação da CP de São Martinho do Porto na casa dos super-heróis e num espaço de street food, a praticamente parar. O Ó Pit Stop fechou em outubro e a partir daí deixou de entrar dinheiro, mas as despesas continuaram a ter de ser pagas.

O antigo armazém da Refer, no verão do ano passado, já como Ó Pit Stop

O tempo encerrado tem sido utilizado para fazer melhorias. Entre elas está a criação de uma nova esplanada (ler artigo à parte), mas também a colocação da pista de dança que Pedro Machado tinha em Inglaterra. “Não estava a ser utilizada devido ao covid e aqui podemos receber pessoas que queiram dançar”, fez notar.
Por outro lado, o espaço está aberto à realização de eventos.
Em curso está a transformação da frente de uma carrinha antiga numa churrasqueira. Essa é uma ideia que se relaciona com a intenção de organizar o Barbecue Cook-Off Portugal.
Pedro Machado queixa-se da falta de apoio das entidades públicas locais. “Estou a vender três das minhas motas para investir aqui, estamos a fazer tudo com o meu dinheiro e com alguns apoios”, fez notar.
Este ano foi necessário colocar caixas de água e electricidade individuais para cada uma das carrinhas de street-food, num investimento a rondar os 3000 euros. No futuro gostaria de ter painéis solares.

 

 

Pedro Machado, no espaço que foi criado este ano nas traseiras da casa dos super-heróis

Ó Pit Stop reabre com uma nova esplanada

Este ano a casa dos super-heróis terá nas suas traseiras uma nova esplanada com 24 novos bancos de piquenique com dezenas de lugares.
A nova esplanada foi feita reaproveitando portas do parque de campismo local, que está a ser alvo de uma recuperação e cujos donos doaram as madeiras que já não precisavam.
As mesas foram construídas com recurso a antigas armadilhas de pesca e as divisórias com paletes usadas. Faltam, ainda, os chapéus de sol.
Na frente do espaço manter-se-ão as carrinhas de street food, mas também o elástico para as brincadeiras dos mais novos. “É um espaço para as famílias”, refere Pedro Machado.
O antigo armazém da Refer, que estava ao abandono há décadas, “tinha buracos nas telhas, só tinha electricidade de um lado, não tinha ligação de água nem de esgoto e estava cheio de excreções de pombos e ratos mortos”.
O armazém está atualmente, e desde fevereiro do ano passado, arrendado aos Superheroes for Kids, que o recuperaram e que o têm vindo a dinamizar através destas iniciativas.
A curto prazo o espaço deverá ter a funcionar uma mesa de snooker.
Pedro Machado, que também é motard, gostaria de ter o barbeiro (cujo local está montado no armazém) a funcionar a tempo inteiro.
Para este fim-de-semana está prevista a reabertura do Ó Pit Stop e o assinalar do Dia da Independência Nacional Americana com um evento.