Um jornal de referência a caminho do centenário

0
215
A Gazeta das Caldas é um elemento imprescindível na ligação entre a comunidade

A Gazeta é o jornal mais antigo do distrito e comemora, em 1 de outubro de 2025, o centenário. Propriedade da Cooperativa Editorial Caldense, tem encontrado respostas para os desafios do setor

 

Se a antiguidade, pelo menos no que diz respeito à imprensa local e regional, continua a ser um posto, então Caldas da Rainha pode orgulhar-se de ter o jornal mais antigo em publicação no distrito de Leiria. Mas a cidade (e a região) pode também orgulhar-se de possuir um semanário de referência, líder de audiências e que caminha para o centenário com a agilidade de um meio de comunicação social que, ciente da sua herança, se moderniza e enfrenta os grandes desafios da imprensa local e regional.
Como todas as grandes instituições, os primeiros anos da Gazeta foram atribulados e o caminho nem sempre foi o mais rápido, mas o jornal assumiu-se, desde praticamente o arranque, como um elemento agregador da comunidade.
O primeiro número da Gazeta foi impresso na tipografia Caldense de José da Silva Dias e saiu a 1 de outubro de 1925, o que significa que este título, agora propriedade da Cooperativa Editorial Caldense, está apenas a quatro anos de celebrar o centenário, um marco de que poucos jornais se podem gabar de ter atingido.
Contudo, a Gazeta das Caldas acabou por ter uma “falsa partida” como quinzenário, em 1922, já que o então “quinzenário noticiário, humorístico e desportivo” durou apenas seis números.
A Gazeta viria a assumir-se, efetivamente, em 1925, como um “jornal regionalista” e o propósito de “servir os interesses da região, chamando a si todas as ideias, venham de onde vierem, que concorram para o seu progresso incessante”.
Em outubro do ano passado, a Gazeta entrou num novo ciclo, surgindo nas bancas e em casa dos assinantes como um novo layout, que visou adequar a imagem do jornal aos tempos modernos. A recetividade dos leitores e do público foi muito positiva e, desde então, o jornal tem também vindo a renovar alguns conteúdos, que deixaram de ser publicados em suplemento e ganharam “corpo” de revista, como o “Guia do Ensino & Formação”, as “250 Maiores empresas do Oeste” ou a “Casa & Decoração”. Em agosto deste ano, o jornal lançou, numa iniciativa ímpar na imprensa regional, uma revista sobre a participação do Caldas na Liga 3.
Além da edição semanal, que vai para casa dos assinantes e pode ser adquirida em postos de venda por quase todo o país, a Gazeta tem vindo a reforçar a cobertura online com a atualização diária do site (www.gazetadascaldas.pt), lançou no ano passado uma app (disponível na Play Store e na App Store), tem uma página no Instagram (www.instagram.com/gazetadascaldas/) e, no último ano, reforçou a oferta de newsletters. ■

Algumas datas marcantes

  • Eis alguns dos momentos marcantes da história dos primeiros anos da Gazeta das Caldas.
  • O primeiro número da Gazeta das Caldas foi impresso na tipografia Caldense de José da Silva Dias, a 1 de outubro de 1925
  • Em 1926, a sede do jornal muda-se dos pavilhões do parque para o Largo Dr. Barbosa, 17, 1º D
  • A 5 de setembro de 1926, a Gazeta suspendeu a publicação, que só viria a ser retomada quatro meses mais tarde, a 1 de janeiro de 1927
  • A edição da Gazeta de 28 de novembro de 1936 inaugura um novo estilo gráfico e uma nova abordagem jornalística
A primeira capa da Gazeta das Caldas diz ao que vem o jornal