Uma biblioteca na antiga escola da Fanadia

0
613
A biblioteca ainda não tem horário, mas foi sublinhado que se pretende que esta seja um espaço vivo e não um depósito de livros

No dia 18 de Maio foi inaugurada uma biblioteca na antiga escola da Fanadia. Este espaço surge da vontade de um benemérito, chamado Henrique Costa, que em vida doou 8000 livros e respectivas estantes. As obras custaram cerca de 20 mil euros. No mesmo dia houve visitas ao campo de jogos e ao polidesportivo de São Gregório, cujas obras de manutenção custaram, respectivamente, 15 mil e 50 mil euros.

A antiga escola da Fanadia foi transformada numa biblioteca, com os mais de 8000 livros doados por Henrique Costa. O descerrar da placa foi feito por Vítor Marques (presidente da Junta de Freguesia) e por Isabel Costa (viúva do benemérito) no dia 18 de Maio, antes das visitas ao Campo de Jogos da Escola de São Gregório e ao polidesportivo, que tinham sido requalificados.
Isabel Costa apelou a que aquela biblioteca seja um espaço vivo e não um depósito de livros. “O meu marido adorava os livros e quis doá-los em vida à aldeia para que a escola se tornasse um espaço digno”, contou.
A biblioteca ainda não tem um horário definido e a porta ainda não está aberta, até porque falta fazer a catalogação dos livros. Não vai funcionar a tempo inteiro, mas terá um horário que permita que os interessados requisitem e entreguem livros ou usufruam do espaço.
Vítor Marques explicou que esta ideia surgiu da parte do MVC (do qual Henrique Costa era membro honorário) e que a escola estava abandonada. “Começámos por fazer uma reabilitação do exterior há cerca de três anos, quando ainda estava consignada a outra entidade, e quando ficou livre começamos a arranjar o interior”, recordou o autarca. Foram necessárias obras no valor de 20 mil euros e que passaram por recuperar metade do soalho, que estava podre, mudar a instalação eléctrica, fazer sanitários adaptados e construir uma rampa de acesso nas traseiras.
“O mais difícil é dar vida ao espaço”, realçou Vítor Marques, esclarecendo que conta com as associações e com outras entidades para ajudarem na dinamização da biblioteca.
Tinta Ferreira, presidente da Câmara das Caldas, explicou que o município tem trabalhado com as juntas de freguesia para dinamizar as escolas que foram fechadas e elogiou a qualidade do espólio doado.

Um testemunho de uma professora

Maria Luísa Diogo nasceu na Fanadia e pediu a palavra para recordar a construção da escola, lembrando os sacrifícios do povo local que contribuiu com dinheiro, mão-de-obra, materiais de construção e até com o empréstimo dos animais para carregar os materiais.
Inaugurada em 1953, a escola permitia que as crianças da Fanadia não tivessem que se deslocar a pé para São Gregório para terem aulas. Depois de ali ter estudado, Maria Luísa Diogo acabou por ser colocada como professora naquele mesmo edifício. “Leccionei aqui durante dez anos, a dar aulas a 31 alunos de quatro classes”, recordou.
A antiga professora, que se lembra perfeitamente de a escola ser deixada ao abandono e de ser utilizada como depósito do lixo que vinha de outras escolas, mostrou-se emocionada por ver o edifício reabilitado.

O polidesportivo de São Gregório recebeu obras de 50 mil euros e também se espera que seja aproveitado pela população

Obras de 65 mil euros em São Gregório

Seguiu-se uma visita ao campo de jogos da escola de São Gregório, que era de terra batida e foi cimentado. O espaço foi vedado e nas suas imediações foi criada uma horta. As obras custaram mais de 15 mil euros. Entre a pré-primária e o 1º ciclo, estudam ali 31 crianças. Para finalizar o dia, a comitiva visitou o renovado polidesportivo de São Gregório, que, além de limpo e pintado, conta agora com novas balizas. O espaço circundante, que estava cheio de canas e silvas, foi limpo e instalaram-se máquinas de fitness, balouços e mesas. Aqui as obras custaram quase 50 mil euros.