Universidades e Forças Armadas foram à escola mostrar o que fazem

0
477
Mais de uma dezena de entidades de ensino superior marcaram presença na mostra

Diversas instituições de ensino superior e forças armadas e militares deram-se a conhecer na escola sede do agrupamento Josefa de Óbidos

Nycolas Santos, de Peniche, a frequentar o 12º ano na área de Ciências e Tecnologias diz já ter certezas sobre o seu futuro académico. Quer seguir engenharia civil, mas não sabe em que universidade fazer o seu curso, por isso estava a visitar a mostra de orientação vocacional que decorria na escola. Considera que é uma “otima iniciativa, que os alunos devem aproveitar a 100%, para termos contacto com as universidades e esclarecer as nossas dúvidas”.
Já Nádia Santos, de Óbidos e aluna finalista de Ciências e Tecnologias,  está muito indecisa relativamente ao seu futuro profissional. Gosta particularmente das disciplinas de Biologia e Psicologia e estava a pensar seguir uma dessas áreas… ou fisioterapia. Visitou a mostra também na procura de mais respostas para a apoiar sua decisão. “Muitas das vezes só temos a informação na internet e é mais difícil de esclarecer as dúvidas que temos”, conta a jovem, que já tinha estado a falar com a representante da Universidade de Coimbram para saber informações sobre os cursos.
Nádia Santos destacou também a “diversidade de oferta” existente na mostra, que permite que tenham mais informações relativamente ao Exército, Força Aérea ou GNR. A iniciativa, que decorreu a 18 de janeiro, foi organizada pelo Serviço de Psicologia e Orientação daquele agrupamento de escolas e dirigido aos alunos do ensino secundário/ profissional e 9º ano. O objetivo foi o de permitir aos estudantes terem um contacto mais direto com as instituições e entidades e tomarem conhecimento das suas ofertas formativas. De acordo com a coordenadora do serviço de Psicologia do agrupamento, Ana Inês Borges, este ano conversaram previamente com os alunos finalistas, que lhes disseram os seus interesses relativamente ao prosseguimento de estudos e depois convidaram as entidades de ensino superior, e também forças militares, a estar presentes, tanto com uma mostra dos cursos que disponibilizam como com apresentações no auditório da escola.
No total marcaram presença 12 entidades, com oferta formativa em diversas áreas. As que não conseguiram estar presentes enviaram material informativo, de modo a que os alunos possam escolher a melhor opção. “O nosso objetivo é apoiar os alunos no seu projeto vocacional enquanto estudantes, para conseguirem fazer uma escolha muito mais fundamentada e consciente”, explicou Ana Inês Borges à Gazeta das Caldas. O facto de se realizar no início do ano permite aos alunos finalistas do secundário terem mais tempo para procurar informação sobre as diversas possibilidades mas também aproveitarem as iniciativas para estudantes do secundário que as faculdades têm durante o periodo das férias da Páscoa, concretizou a sub diretora do agrupamento, Teresa Mendes.
Atualmente existe cerca de uma centena de alunos a frequentar o 12º ano no Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos. ■