Volta a Portugal do Futuro arranca hoje nas Caldas

0
158

Mais importante prova nacional de ciclismo para Sub-23 tem quatro etapas e 545,6 km de distância

Hoje, às 12h00, o pelotão de promessas do ciclismo nacional (e também alguns atletas internacionais) começam, na Avenida General Pedro Cardoso, nas Caldas, a 29ª Volta a Portugal do Futuro, a mais importante prova do ciclismo nacional no que ao escalão de Sub-23 diz respeito.
A 1ª etapa liga a cidade termal a Abrantes, num traçado de 130,9 quilómetros que inclui um prémio de montanha de 4ª categoria na Nazaré e outro, de 3ª categoria, no Alto de Alvados, além de três metas volantes (Martingança, Batalha e Constança), com segundos de bonificação que podem ser decisivos na entrega da amarela para o segundo dia, que liga a Lousã à capital das duas rodas, Águeda.
A etapa “rainha” será a terceira, no sábado, com início em Ovar e meta no Santuário de São Macário.
Joaquim Gomes, que foi o primeiro vencedor da Volta a Portugal do Futuro e que hoje é o diretor da prova, recordou que na sua carreira terminou três vezes na Serra de São Macário. “É uma das escaladas mais difíceis em Portugal”, avisou, na apresentação do evento que decorreu no início da semana, no Museu de Ciclismo, nas Caldas, com mais de três dezenas de pessoas. Segundo o antigo ciclista, aquele será “o palco de excelência para distinguir os mais promissores do pelotão Sub-23”.
A Volta a Portugal do Futuro termina no domingo, no emblemático empedrado da Avenida Nuno Álvares, no centro de Castelo Branco, depois de 150,7 quilómetros iniciados horas antes, em Gouveia.
No total serão 545,6 quilómetros distribuídos nestes quatro dias, passando o pelotão jovem por 35 municípios do centro do país, naquilo que Joaquim Gomes definiu como “um autêntico postal ilustrado”.
Mário Lino, diretor do Museu de Ciclismo, lembrou a figura do maestro Carlos Silva, que une as cidade de Caldas e Abrantes.
Já José Soares, diretor da Federação Portuguesa de Ciclismo, salientou o “esforço de valorização desta prova”, mas também a importância da Volta a Portugal do Futuro na transição dos jovens ciclistas portugueses. O responsável explicou ainda que a mudança de datas da prova para esta fase da época é importante para defender este escalão.
Está confirmada a presença de 18 equipas nesta 29ª edição da prova (entre as quais cinco conjuntos espanhóis), num total de 117 corredores.
No último ano o vencedor foi André Domingues, jovem ciclista português então na EFAPEL e atualmente na Burgos-BH.