A brasileira Ivete Quintela criou a VP Dicas, uma plataforma online que pretende ser um apoio aos brasileiros que querem vir viver para Portugal, fazendo uma “ponte” entre os dois países. A responsável pela empresa, que tem sede nas Caldas, tem notado uma nova vaga de imigração vinda daquele país, mas diferente da anterior pois os “novos” brasileiros têm mais qualificações, vêm com a família e procuram sobretudo um lugar seguro para viver.

Vivendo Portugal Dicas (VP Dicas) é o nome do site que a brasileira Ivete Quintela criou nas Caldas para apoiar a vinda de mais brasileiros para Portugal. A empresa familiar, que emprega a própria, a filha, o filho e a nora, foi criada em 2017 quando a responsável voltou a terras lusas depois de cá ter estado pela primeira vez em 2006, a morar durante um ano e meio na zona da Grande Lisboa.
Depois regressou ao Brasil para juntar dinheiro para trazer a família e tornou a Portugal em Março de 2017 com a mãe, a filha e os dois cães, com um projecto já amadurecido pelo tempo. Entretanto, este ano chegou o filho e a nora, formados em design.
Na altura em que regressou, Ivete Quintela ainda não tinha definido o local para se instalar e notou que a maioria dos brasileiros só conhece Lisboa e o Porto. Como um dos objectivos do VP Dicas era trazer pessoas para o centro do país, procurou cidades nessa região. “Nunca tinha ouvido falar das Caldas, mas uma amiga convidou-me para visitar e percebi que era o melhor sítio porque fica perto da capital, tem várias opções em termos de desportos, arte espalhada pela cidade, tem pólos de investigação e tecnológicos e é reconhecida pela educação”, contou Ivete à Gazeta das Caldas, acrescentando que a cidade é bem servida em termos de transportes e que o custo de vida é muito inferior ao dos grandes centros urbanos (apesar de o ordenado também ser inferior). Outra das coisas que os brasileiros mais valorizam nas Caldas é, logicamente, o Parque D. Carlos I, onde se juntam, por exemplo, para celebrar aniversários das crianças.
Além do parque, outro dos pontos de encontro dos brasileiros que vivem nas Caldas é o Margô Hostel, que pertence à filha de Ivete Quintela e que se localiza na rua Eng. Duarte Pacheco. “Encontramo-nos lá, fazemos feijoada ou churrasco e convivemos”, contou, acrescentando que é hábito aparecerem convivas portugueses.

Um auxílio na vinda para Portugal

O objectivo desta plataforma é ajudar a que os brasileiros possam mudar-se para Portugal de uma forma direcionada, segura e confiável. Para tal, tudo começa com uma análise caso a caso, para perceber as necessidades de cada um. A partir daí, a VP Dicas tem uma rede de contactos de quem presta serviços em Portugal, para onde encaminha quem a procura.
Em quase dois anos, o VP Dicas já ajudou a trazer cerca de duas centenas de famílias para o Oeste, onde a responsável acredita que morem mais de 1500 brasileiros. Além de todos os que procuram emprego, tem reparado também que existem muitos brasileiros a querer investir em Portugal.
Actualmente, segundo a responsável do VP Dicas, vive-se uma nova vaga de emigração do Brasil para Portugal, diferente da anterior, em que vinham pessoas “com poucas qualificações, que fizeram algumas coisas que nos envergonham hoje e que ainda fazem com que haja algum preconceito em relação aos brasileiros, especialmente em Lisboa e Porto”.
Uma das prioridades é incluir os recém chegados na comunidade e não criar “guetos” de brasileiros em Portugal. “Queremos ser uma ponte para mesclar as culturas e queremos que convivam porque só assim se acaba com os preconceitos”.
Ivete Quintela incentiva quem quiser vir para Portugal a fazê-lo, mas avisa para não virem sem dinheiro “porque é importante para se manterem no primeiro ano, onde vão tentar orientar a vida em Portugal”. De início, salienta, “é provável que não encontrem o emprego semelhante ao que tinham no Brasil, têm de ter um tempo de maturação para se estabelecer”.

Atravessar o Atlântico em busca de segurança

E se em Portugal os portugueses se queixam dos baixos salários, especialmente quando comparados com o resto da Europa, no caso dos brasileiros isso não se sente. “Não vêm em busca de salários altos, mas sim de um norte mais seguro e um sítio onde tenham qualidade de vida”.
Ivete tem notado um aumento de afluência da comunidade brasileira à região desde que Bolsonaro foi eleito. Escusando-se a entrar muito em políticas, faz notar que “a extrema esquerda foi terrível, mas a extrema direita também é”. E conclui: “Brasil está ruim porque está extremista, não tem segurança, nem física, nem jurídica, nem tributária”.
Mas este projecto não é de via única. Também tem como objectivo fazer a ligação Portugal-Brasil, auxiliando na exportação de bens portugueses e trazendo missões empresariais a Portugal. Para os portugueses a existência da VP Dicas também traz vantagens: o facto de encontrarem mão de obra disponível e de chegarem a um maior mercado ao qual podem prestar mais serviços ou vender mercadorias.
O investimento para criar a plataforma foi reduzido em termos financeiros, não sendo contabilizadas as horas de trabalho em que deixou de fazer outras coisas. Mas este não é um trabalho filantrópico, é colaborativo e comercial. O retorno financeiro vem de duas formas: publicidade e pagamentos dos prestadores de serviços que queiram estar presentes na plataforma e chegar à comunidade do VP Dicas.
Já conseguem prestar auxílio nas áreas da assessoria migratória, estudantil, económica, empresarial e imobiliária, bem como nas áreas dos seguros, do recrutamento e formação profissional, publicidade, marketing digital, inbound sales, tecnologia de informação e design. Actualmente procuram uma agência de viagens para ser parceira.
À Gazeta das Caldas, Ivete Quintela explica que duas chaves para manter o site são o facto de divulgar sempre a fonte das informações que partilha e mostrar também o lado negativo das coisas. “Não mostramos só o lado bom, mostramos os pontos fortes e os fracos, por exemplo, divulgamos as vantagens e desvantagens das Caldas em relação a Lisboa”.
Agora pretende ter o apoio das autarquias para tentar atrair investimentos. O site foi o vencedor do concurso de negócios da AIRO e da Oeste CIM, ganhando três anos de incubação gratuita no edifício do Caldas Empreende e equipamento. “Foi e é muito importante, porque este espaço [um gabinete no Caldas Empreende] é o ideal para ter reuniões, fazer entrevistas e outras coisas necessárias, sem ele seria muito mais difícil”, resumiu Ivete Quintela, salientando o papel de Sérgio Félix (técnico da AIRO), no apoio à incubação da empresa.