Carros elétricos querem pneus especiais

0
296
Os pneus certos permitem uma melhor experiência de condução

Embora aparentemente semelhantes aos dos veículos a combustão, os pneus dos carros elétricos devem ter uma maior resistência e rigidez lateral

Há cada vez mais carros elétricos a circular nas estradas e, mais do que uma tendência, esta será uma realidade para um futuro que se quer mais ecológico. Mas estes veículos, mais pesados do que os a combustão, necessitam de pneus especiais, para que não tenham um desgaste bastante mais rápido. Entre as suas características estão uma maior resistência e rigidez lateral e, devido à ausência de barulho proveniente do motor, os pneus dos veículos elétricos devem também ser mais silenciosos.
Em comparação com os veículos a combustão, os carros elétricos podem pesar, em média, mais 300 quilos do que um automóvel a gasolina ou a diesel, devido às baterias que possuem. Também, quando acelerado, a potência é disponibilizada de imediato, resultando em transferências de peso superiores às de um veículo a combustão e acentuando um desgaste aos pneus.
Para além disso há a eficiência energética que, de acordo com o Automóvel Clube de Portugal, é um dos “pontos vitais” para os veículos elétricos. É necessário maximizar a autonomia, sobretudo em viagens longas, e também aqui os pneus utilizados têm um papel importante. “Com uma resistência ao rolamento inferior, os pneus para carros elétricos limitam as perdas energéticas”, esclarece aquela entidade, estimando que os ganhos energéticos possam representar até 7% de poupança da bateria, comparativamente aos pneus convencionais.  Assim, quando vemos os pneus de veículos elétricos percebemos que são finos por esse mesmo motivo: quanto menor a largura, menor a superfície de contacto com o asfalto, que se traduz em menor consumo de energia.
Em resumo, como características típicas dos pneus destes veículos, estão o facto de serem mais silenciosos, possibilitarem forte aderência, resistência redobrada e possuírem rigidez lateral, assegurando uma elevada aderência em curva e um ruído interno menor.
Ainda de acordo com o Automóvel Clube de Portugal, pelas características que apresentam, estes pneus são, em média, 20 a 30% mais caros do que os convencionais. No entanto, destacam-se as vantagens de uma melhor experiência de condução e a otimização da autonomia do veículo.
Como preservar os pneus
Há cuidados a adotar que podem aumentar a vida útil dos pneus dos carros elétricos. Os especialistas aconselham a evitar ou reduzir as acelerações repentinas, que são mais desgastantes, optando por acelerações suaves e progressivas.
Garantir que existe um alinhamento correto e eficaz das rodas é outro dos cuidados a ter, de modo a prevenir um desgaste não uniforme do pneu, a par da verificação regular da pressão dos pneus para carros elétricos e a confirmação de que esta se encontra nos valores recomendados.
É ainda vital que a escolha do pneu esteja conforme às dimensões do veículo elétrico, pois uma rotação ou pressão incorreta do pneu pode prejudicar a condução.
A procura dos elétricos
No primeiro semestre de 2023, a quota de veículos elétricos vendidos em Portugal atingiu os 27,6%, um valor superior a todo o ano de 2022 e a tendência é de crescimento. Uma preocupação ambiental, mas também o facto destes veículos beneficiarem de um enquadramento fiscal mais favorável do que os seus congéneres a combustão, contribuem para este crescendo de procura.
Também no ano passado, e de acordo com dados da Associação Europeia de Fabricantes Automóveis, dos 5,4 milhões de veículos que circulavam diariamente nas estradas portuguesas, apenas 0,8% já eram totalmente elétricos. ■