Escolher bem para comer bem

0
185

Joana de Sousa Monteiro
Médica

Uma alimentação saudável depende em grande parte dos alimentos que escolhemos consumir e, por isso, esta escolha deve ser informada e ponderada.
Muito além do aspeto, da marca ou do tipo de embalagem, importa realmente perceber do que são feitos os produtos e que benefícios ou malefícios nos podem trazer. Para isso, precisamos olhar para os rótulos e tirar alguma informação que oriente a nossa escolha.
De uma forma geral, a informação nutricional do rótulo contempla a lista de ingredientes, detalhados por ordem decrescente de quantidade, e uma tabela onde contam as quantidades de hidratos de carbono, com discriminação dos açúcares; lípidos, com a descrição da quantidade de gordura saturada ou insaturada; proteínas; sal; e por vezes, vitaminas e minerais. Para auxiliar a interpretação, alguns rótulos têm um semáforo que identifica a vermelho um nutriente em quantidades excessivas, e a verde, um nutriente em quantidade equilibrada, estando a laranja as situações intermédias. Outros apresentam o nutriscore que categoriza os alimentos de A a E, em que os “A” são nutricionalmente preferíveis e os “E” a evitar ou consumir pontualmente.
No geral deveremos escolher os produtos com menos quantidade de gordura, gordura saturada, sal e açúcar e procurar alimentos com as quantidades mostradas a verde na seguinte tabela da DGS (Adapatada do Guia para o Aconselhamento Breve 10 Passos para a Promoção da Alimentação Saudável da DGS).
Tudo isto pode parecer complexo, mas com algum treino torna-se algo bastante rápido e permite escolher bem, para comer bem! ■