A rapariga das aves

0
418
Carina Eufrásio vai para todo o lado com a sua arara, o Riku. A criadora diz que as aves são “super-inteligentes”

Há uma caldense que cria algumas espécies de aves e que sai à rua com uma colorida arara ao ombro, o Riku. A dupla não deixa ninguém indiferente

Carina Eufrásio é das Caldas e apaixonada por animais, principalmente aves. Tem, desde o final de 2019, uma arara canindé macho, o Riku que vive com a caldense e a acompanha para todo o lado. É no ombro da dona que esta ave passeia e vai a todo o lado, chamando a atenção de quem passa.

Riku, profusamente colorido e de grande cauda, foi criado em cativeiro e a caldense, de 22 anos, possui a documentação que lhe permite ter uma ave de estimação. A jovem dedica-se à criação de algumas aves, contando com a ajuda de outros criadores nacionais com o objetivo de melhorar as espécies.

As aves vivem à solta numa sala transformada em “quarto dos pássaros”

“Tenho 56 aves, a arara macho Riku e ainda um gato”, disse a caldense à Gazeta das Caldas, acrescentando que cria periquitos ingleses, australianos e outros com poupa. E ainda caturras e roseicollis. “Estou neste negócio desde 2019 e iniciei com dois periquitos”, contou a criadora que atualmente vive em Lisboa. “Comecei por ter bebés roseicollis da minha criação em setembro de 2019”, disse a criadora, acrescentando que em novembro nasceram os primeiros periquitos. “As minhas aves andam soltas numa sala que foi transformada em quarto dos pássaros”, disse a responsável explicando que os seus animais se mantêm saudáveis, pois fazem exercício físico diariamente.

As aves convivem entre si e os mais velhos ensinam como tratar de cada um. As aves comem ração, mas com pouco girassol (em excesso fazem mal). Também comem maçãs e couves frescas pois ajudam a reforçar as vitaminas. No quarto dos pássaros além dos medicamentos, vitaminas, papa e snacks (guloseimas), há também brinquedos. “As aves são animais super inteligentes e necessitam de convívio com humanos. São mais felizes quando criam laços fortes com os donos”, disse a criadora que, no futuro, gostaria de participar com as aves nas exposições ligadas à área.