Sacel, concessionário Citroën, assinala 60 anos

0
127
Francisco Santos é o diretor geral da empresa que está nas Caldas há 42 anos

Empresa está na cidade das Caldas há quatro décadas. Tem uma equipa de dez colaboradores e dispõe de serviço de aluguer de viaturas

A Sacel, concessionário Citroën nos distritos de Leiria, Santarém e para alguns concelhos na zona oeste do distrito de Lisboa, celebrou a 15 de abril os seus 60 anos de existência, o que faz da empresa, que tem sede em Leiria, um dos maiores e mais antigos representantes da Citroën a nível nacional.
A empresa foi fundada em Leiria a 15 de abril de 1961 e chegou às Caldas da Rainha, no que foi a primeira expansão, em 1979.
Francisco Santos, diretor geral da empresa, fala com orgulho da data que a empresa assinala. “Estamos orgulhosos do que fizemos ao longo destes 60 anos, do crescimento que a empresa teve, da satisfação dos nossos clientes, de termos conseguido ultrapassar os alguns momentos difíceis e de termos saído deles ainda mais fortes”, disse à Gazeta das Caldas.
O segredo do sucesso e da longevidade da Sacel é, no entender do administrador, a entrega dos nossos colaboradores e estabilidade da equipa, além do facto de “conseguirmos acompanhar a evolução no setor e, ainda assim, conseguirmos inovar” de modo a “estar à altura das exigências nossos clientes e da própria marca que representamos”. Além disso, acrescenta, foi importante para a empresa “não se ter dispersado daquilo que é o seu negócio”.
A empresa foi procurando crescer pela expansão da área territorial. Depois da fundação, a Sacel instalou-se nas Caldas da Rainha. “É um mercado importantíssimo para a nossa empresa, já que os potenciais clientes não são só provenientes deste concelho, mas também dos concelhos vizinhos e até de concelhos distantes que se deslocam propositadamente a esta cidade a fim de adquirirem uma viatura, nova ou usada”, realça Francisco Santos.
Além disso, a oficina das Caldas é, a seguir à de Leiria, a que tem mais entradas diárias de viaturas, “e com a antiguidade média das viaturas mais elevada, o que demonstra bem a fidelização dos clientes no nosso serviço e nos nossos colaboradores”.

A operação nas Caldas da Rainha foi iniciada há 42 anos e é a segunda mais significativa da empresa,
a seguir
à de Leiria

 

Aluguer de viaturas
Nas Caldas da Rainha, a empresa tem uma equipa de 10 colaboradores, de um total de 52 na estrutura. Além do comércio de viaturas e do serviço de após-venda, a Sacel dispõem na cidade termal um serviço de aluguer de viaturas.
Depois das Caldas da Rainha, a Sacel voltou a expandir-se mais para sul em 2009, com instalações em Torres Vedras, que permitiram estender a área territorial aos concelhos sul do Oeste. Em 2019, a Sacel chegou igualmente ao Ribatejo, ao instalar-se em Santarém.
“Temos procurado crescer, mas de forma sustentada, e a expansão para Santarém é prova disso mesmo. É um crescimento dentro da marca, mas para um território vizinho ao que tínhamos até então. Santarém é um dos maiores distritos a nível nacional e ter a exclusividade da marca Citroën como distribuidor de viaturas novas é importante e trouxe-nos um aumento do volume de negócios com novos clientes”, salienta o responsável.
Algo importante para a empresa mesmo antes de se abater a pandemia. “Tivemos um decréscimo no nosso volume de negócios e rentabilidade, mas o facto de já termos feito anteriormente um trabalho de reestruturação da empresa, da nossa estrutura de recursos humanos e de custos” permitiu manter a empresa com “uma boa capacidade financeira”. De resto, Francisco Santos sublinha que a Sacel mantém o mesmo número de colaboradores que tinha antes da pandemia e está, neste momento, a recrutar para várias funções, o que “demonstra a nossa confiança no futuro”.
Apesar dos 60 anos, a empresa continua a trabalhar para se manter ao ritmo do futuro, nomeadamente na resposta a uma abordagem mais digital, preconizada pelos mais jovens. Recentemente foi reformulado o site institucional e reforçado com presença nas redes sociais. “As nossas equipas estão preparadas para, à distância, tratar de todo o processo. Exemplo disso é o facto de termos tido alguns processos de venda de viaturas em que só conhecemos presencialmente os clientes aquando da entrega da viatura na sua residência”, acrescenta. ■