Espaços culturais da cidade reabrem

0
89
Gazeta das Caldas
A visita à Piscina do Rei, no Hospital Termal, surpreendeu os visitantes

Espaços culturais da cidade reabriram e já foram retomadas visitas a locais histórico no Hospital Termal

Gazeta das Caldas
arquivo

Reabriu a 6 de abril, o Museu do Hospital e das Caldas, instalado no Palácio da Rainha. Aos visitantes oferece uma nova exposição alusiva ao Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.
A mostra pretende trazer à discussão alguns temas marcantes do Hospital termal, “criando diálogos entre factos que muitas vezes se parecem opor”, pode ler-se na nota sobre a exposição que é mutável e que vai continuar em produção até 18 de maio, Dia Internacional dos Museus e que tem como tema “Recuperar e Reimaginar”.
Com esta iniciativa, o museu pretende que se criem “novas soluções com vista a um futuro sustentável de todos estes bens patrimoniais”.
A exposição pode ser vista entre terça-feira e sábado – entre as 10h00 e as 16h00 – e as entradas são gratuitas.
Foram também retomadas as visitas ao Hospital Termal e, como tal, é possível voltar a visita locais do património histórico termal como a Piscina da Rainha ou a Sala das Inalações. Também já pode ser visitada a Capela de São Sebastião, imóvel classificado de Interesse Público e que se situa ao cimo da Praça. O templo guarda os belos painéis de azulejo azul e branco e que são setecentistas.
Soma-se ainda mais uma novidade. A loja deste espaço museológico fez uma parceria com o atelier 19b que criou uma nova peça cerâmica que foi inspirada na própria coleção.

Os museus caldenses estão a apostar em iniciativas que visam cativar os seus visitantes

Gazeta das Caldas
arquivo

O Museu do Hospital e das Caldas fica nas proximidades da Igreja de Nossa Senhora do Pópulo que atualmente está a ser alvo de obras de recuperação.
No dia anterior, 5 de abril reabriu o Museu de José Malhoa, situado no Parque D. Carlos I, com uma nova exposição intitulada “Promenade au Desért” do artista visual que vive e trabalha em Lisboa, Pedro Valdez Cardoso.
No dia da reabertura ao público foram também apresentados kits pedagógicos que foram criados pelos alunos do curso de Programação e Produção Cultural da ESAD.
Está também disponível uma nova visita temática “Malhoa e os primeiros Naturalistas em Portugal”.
O percurso promete dar a conhecer curiosidades sobre as obras e autores naturalistas que pertencem à colecção daquele museu e que podem ser apreciadas na Sala Malhoa e na Sala do Grupo do Leão.
Também o Museu da Cerâmica reabriu ao público, após uma intervenção no Palacete tardo-romântico Visconde de Sacavém e que alberga uma parte importante da coleção deste museu local.
A reabertura ao público ficou marcada “por um novo olhar sobre a flora das peças da coleção” e ainda pela realização de uma oficina de decalque que foi realizada por visitantes mais novos. ■