Voleibol: Sporting das Caldas falhou o apuramento para o playoff de subida

0
366
Os leões das Caldas venceram um jogo e perderam outro. Ficaram em 3º e falharam o objetivo da subida

Derrota na última jornada, em Vila Nova de Gaia, impede disputa da subida à primeira divisão

Era com um misto de sensações que o Sporting das Caldas chegava ao último fim-de-semana da época, a uma jornada dupla, em casa com o CD EBS Santa Cruz (último com zero pontos) e fora com o CA Madalena (primeiro só com vitórias).
Com 14 pontos, os mesmos que o CN Ginástica e mais quatro que o Clube Kairós (com menos um jogo), os caldenses precisavam de vencer e contar com uma conjugação de resultados favorável.
No sábado, no Pavilhão Raul Jardim da Graça, os leões das Caldas não deram hipóteses e venceram por 25-13, 25-23 e 25-15, num jogo em que conseguiram, ainda assim, rodar a equipa. Acresce que o CN Ginástica venceu em Vila do Conde, mas apenas por 3-2 e perdeu, assim, um ponto em relação aos caldenses.
Ou seja, o Sporting das Caldas entrou em campo no domingo, frente a um poderoso CA Madalena, a precisar de uma vitória expressiva, mas acabou por perder por 3-1.
O primeiro set foi discutido, fechando com 25-22 para os da casa, que dominaram o segundo (25-12), na fase mais desequilibrada do encontro. Ao terceiro set vitória para o Sporting das Caldas (22-25) e o reacender da esperança, que viria a esfumar-se com o 3-1, num set, uma vez mais, bem discutido.
Acresce que, simultaneamente, no outro campo, o CN Ginástica até começou por perder o primeiro set, mas depois não mais vacilou e fechou com uma vitória por 3-1 que lhe permitiu ficar com o segundo lugar, com mais dois pontos que os caldenses.
Apesar do desfecho desfavorável para os caldenses, foi um fim de semana eletrizante de decisões e com muita incerteza, com os aficionados agarrados aos telemóveis a tentar acompanhar os vários jogos para perceber o desfecho final.
O treinador do Sporting das Caldas, Frederico Casimiro, disse que esta época “está abaixo das expetativas, queríamos ser primeiros e subir de divisão, mas infelizmente não o conseguimos fazer, tivemos duas derrotas por 3-2 nesta fase que foram penalizadoras, contra equipas com as quais não deveríamos ter perdido e isso acabou por nos condicionar, não só na luta pelo primeiro lugar, como pelo segundo”.
O treinador faz “um balanço negativo” da época. A falta de formação na região tem um peso importante, levando à contratação fora. “Contratámos três jogadores mas apenas um foi uma mais-valia”, frisa, assumindo também as responsabilidades. “A culpa foi de todos, da estrutura toda”, afirmou. “Não conseguimos ter consistência ao longo da época”, disse, acrescentando que perderam com os mais fracos e ganharam aos mais fortes.
Frederico Casimiro frisa ainda que esta “era uma época em que era importante subir, porque desceram três equipas da primeira divisão, devido à redução de 14 para 12 equipas” e esclarece que ainda não sabe qual será o projeto do clube para o próximo ano. “Não sei qual será o objetivo, mas será mais difícil subir porque a segunda divisão vai estar mais forte”, fez notar.
O técnico ainda não reuniu com a direção para debater o futuro, deixando ainda a sua receptividade para continuar no clube e urgência em começar a planear a época e a construir o plantel. “No final da época vamos refletir, porque a nossa aposta era a subida e temos que tirar conclusões sobre o que melhorar no futuro”. ■