Almofadas solidárias para as crianças do hospital

0
339
As almofadas, confecionadas pelos alunos do 3º ano do curso profissional Técnico de Apoio à Infância, foram entregues a 6 de janeiro

O Dia de Reis foi o escolhido pela turma de Apoio à Infância da Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro para entregar 40 almofadas à Liga de Amigos que as fará chegar a quem mais precisa.

Rafael Santos, de 19 anos, confecionou duas almofadas, uma em forma de gato e outra de macaco no âmbito do projeto Almofadas Solidárias. É o único rapaz, de uma turma de 13 alunos que estão a frequentar o terceiro ano do curso profissional Técnico de Apoio à Infância na Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro (ESRBP) e que se dedicou de “corpo e alma” ao projeto no âmbito da disciplina de Expressão Plástica.
A ideia começou a ganhar forma no início do ano letivo com a vontade de aprender a costurar e de criar um ateliê de almofadas, cujo formato seria inspirado nas figuras de Bordalo Pinheiro. Entretanto, foram também confecionadas coroas, numa alusão à fundadora da cidade e também para assinalar a data em que a oferta foi realizada: o Dia de Reis.
Para tornar o projeto ainda mais especial, os jovens decidiram vender as almofadas. “ assim angariar dinheiro para ajudar “uma das áreas mais delicadas do hospital, a pediatria”, explicaram os autores, durante a apresentação, que decorreu a 6 de janeiro na sede da União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório, que é parceira do projeto.
A Junta começou por mostrar a disponibilidade para apoiar na aquisição dos materiais, mas tendo em conta que o pano de algodão utilizado na confeção foi oferecido pela diretora da escola, optou por oferecer 200 euros à Liga de Amigos do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha, que traduz o custo das 40 almofadas já criadas.
“Estes materiais são oferecidos pela escola à Liga, que lhes há-de dar bom uso, oferecendo às crianças, ou através dos enxovais que vão partilhando com quem mais necessita de ter ‘um miminho’”, salientou o presidente da Junta, Vítor Marques, elogiando ainda a ideia e execução das almofadas.
O autarca destacou ainda que estes apoios são “laços de carinho” para com a Liga de Amigos do Hospital, para que possa continuar a realizar um trabalho que “é tão preciso”.
Também presente na cerimónia, a responsável da Liga de Amigos do Centro Hospitalar, Manuela Paula, comprometeu-se a distribuir as almofadas por quem mais precisa. Lembrou as contingências provocadas pela pandemia e que fará a entrega destes donativos em articulação com os serviços do hospital. A voluntária, com 22 anos de serviço, destacou a atitude dos jovens e manifestou a disponibilidade da Liga em apoiá-los no que necessitem.

Embrião para futuros projetos
Maria José Rocha, professora na ESRBP e mentora do projeto, lembrou que o projeto permitiu colocar em prática os conteúdos da disciplina, despoletando “energias criativas, desenvolvendo competências e promovendo espírito crítico”. Na confeção das almofadas, para além da forma, onde apostaram em imagens identitárias das Caldas, também utilizaram as cores do logótipo do agrupamento, que são as do arco iris, e que também tem subjacente a mensagem que “Vai ficar tudo bem”. Depois, e em conjunto com a Junta de Freguesia elegeram a Liga de Amigos do Hospital “para presentear com as almofadas, que transportam uma forte carga de amor, que sentimos, que vivemos, que temos para dar”, sintetizou Maria José Rocha.
A docente manifestou ainda que este projeto é um embrião de muitos outros, de partilha e entreajuda para os quais estão “ávidos” de avançar.
Também a diretora do agrupamento, Maria do Céu Santos, deu nota do interesse da escola em continuar a colaboração com a Liga de Amigos do Centro Hospitalar. “Sabemos que existem peças artesanais nesta área da costura que os elementos da Liga fazem e que os alunos deverão conhecer, como é o caso das almofadas da amamentação e pequenos polvos feitos em tricot que são oferecidos aos bebés”, referiu.
O ateliê de costura permitiu aos jovens aprender a costurar para fazer também os fatos para a peça de Natal, onde participaram e pode ser vista no site da escola, e que tinha por temática o ambiente.
A parceria da União de Freguesias vai continuar, agora com um projeto na área de madeiras em que os alunos irão criar a partir de madeira recolhida na Mata Rainha D. Leonor. A autarquia de base também adquiriu um equipamento audiovisual, que permite registar imagens em 3D e que será utilizado pelos alunos do curso de audiovisuais para fazer o registo do Parque D. Carlos I. ■