Artur Homem convida visitantes a dar título às obras

0
609
No atelier onde o artista pinta locais da região vê-se e “sente-se” a Praça da Fruta

Artista e docente apresenta aguarelas no Turismo que aguardam títulos que os visitantes escolham

“Aguarelas à procura de um título” intitula a mostra de Artur Homem que abriu portas ao público, a 2 de março, na galeria do Posto de Turismo, situado ao cimo da Praça da Fruta. As obras Estão presentes 60 aguarelas que permitem conhecer o trabalho deste autor. Artur Homem retrata a região desde a Foz do Arelho, o Bom Sucesso, Peniche, Óbidos, S. Martinho do Porto e a Nazaré. Também pinta paisagens campestres. Há retratos de outras localidades como de Lisboa, Porto e Costa Nova.
Artur Homem, que é natural de Oliveira do Hospital, coloca algo do seu mundo interior nos seus trabalhos e nesta mostra convida os visitantes a fazerem parte dela. Isto é, pede-se aos visitantes que escolham os títulos para as aguarelas deste autor. E no caso de querer adquirir a obra, o artista colocará no Certificado de Autenticidade o título escolhido pelo visitante. O observador torna-se assim um co-autor das propostas deste artista.
O pintor, que vive há vários anos em A dos Francos, é formado em Design de Equipamento, nas Belas Artes de Lisboa,e há 35 anos que ensina Geometria Descritiva, parte deles na Escola Secundária Bordalo Pinheiro.
Artur Homem possui atelier na Praça da Fruta e retrata-a, captando o seu movimento e cores a partir da sua janela. “Hoje faço uma aguarela por dia”, contou o artista de 59 anos. Nos primeiros trabalhos Artur Homem dedicava-se ao realismo mas hoje prefere dar espaço a jogos de silhuetas, sombras e tons neutros, criando até novas atmosferas com as suas pinceladas.
“Antes não lidava bem com o erro enquanto que hoje até os incorporo nos trabalhos”, especificou o autor agora mais comedido no uso das cores. Para os seus trabalhos segue os pequenos esboços que faz nos locais e também trabalha com base na sua memória.
Artur Homem, o pintor que capta a Praça a partir da janela, não exclui a hipótese de ensinar aguarela, criando conteúdos digitais sobre esta técnica de pintura.
Outro projeto que tem em mente e que será desenvolvido em conjunto com a sua mulher ,Maria Ribeiro – é a de criação de uma obra de banda desenhada que conterá aguarelas de paisagem. “Aguarelas à procura de um título” está patente no Turismo, até 28 de março. ■